Duo Cai Sahra lança primeiro EP da carreira com várias participações especiais; confira entrevista

Foto: Guto Costa

O duo pop Cai Sahra lançou nesta sexta-feira (22) o primeiro EP da carreira, com distribuição da Universal Music. Produzido por Paul Ralphes e Rodrigo Silvestrini, o EP conta com seis faixas autorais e as participações especiais da dupla Lucas e Orelha e das cantoras Cammie e Lary.

Formado pelos cariocas Felipe Ricca e Rodrigo Silvestrini, o duo nasceu em 2016, quando eles começaram a postar nas redes sociais alguns vídeos caseiros de músicas autorais, que hoje somam mais de 2.6 milhões de views.

Antes do lançamento do EP, em junho deste ano, o duo apresentou a canção “Eu Sei”, que integra a trilha sonora da novela “A Dona do Pedaço”, da Rede Globo. A faixa também conta com um videoclipe oficial. Escolhida como o primeiro single do duo, a também já apresentada “Meu Bem”, um pop com influência do rap, cujo lyric video tem hoje mais de 1,6 milhão de visualizações, arrebatou muitos dos fãs do Cai Sahra. A faixa trata sobre uma desilusão amorosa, que acontece apesar da certeza de que o relacionamento iria durar e prosperar.

Felipe e Rodrigo, hoje com 19 anos, se conheceram aos 10, quando estudavam no Centro Musical Antônio Adolfo, no Rio de Janeiro. Dois anos mais tarde, tocaram juntos numa apresentação. Após esse primeiro encontro musical, Felipe seguiu com aulas de violão e Rodrigo se aprofundou nos estudos de violão, piano e percussão. Após um tempo afastados por conta dos estudos, eles se encontraram novamente em 2016, durante uma jam session na casa de amigos.

O Caderno Pop bateu um papo com o Felipe Ricca sobre a carreira e o projeto. Confira:

Vocês já estão indo pra dois anos do lançamento do primeiro single oficial. Como foi esse período? Rolou bastante coisa, como apresentação na TV, música de novela…

Esse período de dois anos foi marcado por bastante ansiedade. A gente já tinha vários sons prontos. Vários desses sons que estão no EP, já estavam prontos. Foi marcado por muita ansiedade e ao mesmo tempo muito trabalho. A gente buscou cada vez mais se aprimorar como artista, amadurecer como artista… tiveram programas de TV também, como o Só Toca Top que a gente gravou e foi um programa incrível pra amadurecer a gente como artista. Uma experiência única. Então acho que foi um processo de amadurecimento durante esses dois anos até chegar nesse EP que é um EP que a gente tem uma felicidade de estar apresentando como a essência e a estética do Cai Sahra no momento.

Nesse primeiro EP vocês dividiram metade das faixas com outros cantores (Lary, Lucas & Orelha e Cammie). São parceiros de longa data ou amigos que fizeram nesse tempo que estão juntos?

A Lary a Cammie e o Lucas & Orelha são amigos recentes… a gente deve ser amigos há um ano mais ou menos e são amigos que a música trouxe pra gente. A gente sempre foi, antes de amigos, muito fãs dos trabalhos de cada um deles e a gente acabou entrando em contato justamente pra fazer um som. A gente gosta muito da estética do tipo de som que eles trazem, levantam a bandeira do R&B no Brasil, que a gente acha incrível isso, cada vez mais fortalecendo a cena. Então eles foram amigos que a gente conseguiu através da música, através de sessões nos estúdios e a parada fluiu muito naturalmente e a relação boa fluiu assim dessa forma.

No clipe de “Quando Eu Te Ligo” a gente consegue ver vocês não só cantando, mas também fazendo o som. São só vocês dois que fazem tudo nas músicas?

O EP ele é dividido… duas músicas foram produzidas pelo Paul Ralphes junto com a gente na época que a gente estava começando o processo de criação do Cai Sahra, que a gente teve a honra de participar desse amadurecimento com ele e o trabalho com ele amadureceu muito o Cai Sahra e a gente é muito grato por isso. Os outros quatro sons foram produzidos única e exclusivamente pela gente. O Rodrigo produz tudo da parte digital, de beat e tudo mais. Eu ajudo dentro do que posso dando ideia e a gente produz tudo no estúdio. Enfim, bem autossuficiente mesmo e acho que muito por isso a gente conseguiu implementar uma estética, uma linguagem que a gente tava tendo um pouco de dificuldade antigamente de trazer aquilo que a gente vem escutando, de um conceito um pouco mais R&B misturado com pop, mais ou menos essa vibe.

Por enquanto foram as seis faixas do EP, mas vocês já têm um álbum completo planejado pro ano que vem?

A gente tem planejamento de lançar álbum, feats, singles e muito mais pra frente, mas a gente ainda tá trabalhando, montando outros sons, produzindo… garanto que tem muito lançamento por vir.

Ouça o EP no Spotify: