Entrevista: Papatinho fala sobre sonoridade, parceria com Anitta e mercado latino. Confira!

O produtor musical Papatinho lançou na semana passada p EP “Rio”, com quatro faixas, dentre elas “Como Ela Vem” que já é um hit no YouTube. Parceiro do lendário Catra, um ícone do funk, Papatinho também confirmou recentemente uma parceria com o rapper Snoop Dogg, Anitta e Ludmilla. A faixa, ainda sem nome, deve ser lançada ainda neste ano. Em entrevista ao Caderno Pop, Papatinho conta sobre a descoberta de talentos latinos, próximos projetos e, claro, a parceria que nem foi lançada e já é sucesso.

Você lançou o EP “Rio” com quatro faixas e todas com sonoridade carioca. Isso é um “esquenta” pra algum futuro álbum?
Eu tenho produzido muita coisa, mas aí surgiu essa parada mais carioca pro “Rio” e a recepção foi bem legal… tem percussão, tambor e eu queria fazer alguma coisa com o nome da cidade do Rio de Janeiro, pra dar valor à sonoridade. Esse EP tem uma mistura de rap, funk, samba, música urbana mesmo. Acho que em vez de álbum, devo lançar vários EPs temáticos. Como produtor a gente tem essa liberdade de poder fazer misturas.

No seu canal no YouTube, o Papatunes, tem várias parcerias, e tem também com o Mr. Catra. Como era a relação de vocês?
O cara era um mito e foi uma perda muito grande. Ele era um ídolo da geração anos 90, uma figura única. Ele começou com o rap, assim como eu e depois foi pro funk, onde fez a carreira dele. Era um cara que entendia muito, uma aula de vida. Trabalhei com ele algumas vezes e quando ele estava doente, tinha me falado que quando melhorasse, ia fazer um álbum de rap comigo. Mas infelizmente isso não rolou.

Um vídeo do Snoop Dogg anunciou uma parceria dele com você e a Anitta. Conta pra gente sobre isso!
Na verdade eu não posso falar muito, porque é um projeto da Anitta e tem a Ludmilla também. Mas ainda falta finalizar com a voz do Snoop Dogg. A minha parte nessa música é o beat do Snoop. A parceria rolou porque o Snoop falou com a Anitta, e por acaso eu tive uma experiência com o Snoop em estúdio em 2015 através do meu manager e as coisas se conectaram. E foi rápido, a conversa começou no fim do ano. Mês passado mandamos a música pro Snoop e só estamos aguardando ele gravar pra finalizar a faixa.

Você falou que teve esses contatos nos Estados Unidos. Pretende lançar coisas por lá ou vai focar no Brasil agora, com o lançamento de “Rio”?
Eu fiz coisas aqui e lá. Recentemente participei de um song camp do Spotify nos EUA, com uma galera latina. Desse song camp saiu uma faixa chamada Bendito (tem clipe no YouTube) com o Hadrian, do México e o Lit Killa, da Argentina. Mas no total eu fiz umas seis faixas nesse projeto, só que não sei quem vai lançar. Tinha gente de todos os países latinos e foi bem bacana conhecer o que eles fazem de música urbana, coisas que a gente aqui nem sabe, não conhece porque não chega pra gente.

Gostou? Confere então como ficou essa parceria latina do Papatinho!