Por dentro da trilha de “Game of Thrones”

GAME OF THRONES é um divisor de águas na história do entretenimento e uma das razões para que isso aconteça é a trilha sonora. O tema de abertura da série é amplamente conhecido e está na cabeça dos milhões de fãs. A mente por trás deste trabalho grandioso para GAME OF THRONES – incluindo o tema principal – é o compositor alemão de ascendência iraniana Ramin Djawadi, de 44 anos. Discípulo de Hans Zimmer, músico e compositor que venceu o Oscar® pela trilha sonora da animação O Rei Leão, ele criou mais de 100 partituras para filmes e séries de sucesso.

Algumas das suas composições mais famosas são as trilhas sonoras de Westworld e de Iron Man, que lhe rendeu uma indicação ao Grammy; assim como a música de “The Dragon and the Wall”, do último episódio da sétima temporada de GAME OF THRONES, com a qual ele ganhou um prêmio Emmy® no ano passado.

Djawadi compôs por intuição alguns dos temas mais memoráveis de GAME OF THRONES, como “Goodbye Brother”, a melodia da família Stark. No entanto, ele também criou músicas a partir de indicações que constam nos livros do autor George R.R. Martin, como é o caso das melodias, agora icônicas, que constam abaixo:

“The Rains of Castamere”

Quando esta música toca, é muito provável que alguma coisa ruim aconteça. Pelos livros de Martin, sabemos que ela foi composta quando Tywin Lannister eliminou a casa Reyne, que tinha desafiado o poder de Tytos, pai de Tywin. A partir daquele momento, tornou-se o “hino” dos Lannister e também uma espécie de grito de guerra. Não por acaso, “The Rains of Castamere” é a melodia que toca enquanto os Frey e os Bolton esquartejam Robb Stark, seguindo as instruções dos Lannister. No Casamento Vermelho, alguns membros do grupo The National aparecem tocando esta música. A versão mais memorável é a da banda irlandesa Sigur Ros, que lhe deu um tom mais trágico.

“The Bear and the Maiden Fair”

Trata-se de uma das canções mais populares de Westeros e personagens de todas as classes sociais cantaram a música em diversas ocasiões. Este tema aparece desde a primeira temporada em cenários variados, de Winterfell a King’s Landing. A letra fala de um urso que resgatou uma donzela e ela jurou nunca se aproximar de um homem que não fosse um cavalheiro. A história tem muitos reflexos na série. O mais mencionado, segundo os fãs, é na relação entre Brienne e Jaime. Embora fosse mais fácil comparar Brienne com a donzela e Jaime com o urso, existe uma teoria que diz que é o contrário. Isso ganha força quando os homens de Vargo Hoat cantam esta canção para Brienne depois de a atirarem para lutar com um urso, antes de ser resgatada por Jaime. A banda The Hold Steady e o vocalista do Snow Patrol interpretaram a canção na série.

Jenny of Oldstones

Na primeira vez, escutamos a música na (surpreendente) voz de Podrick, diante da chaminé no segundo episódio da oitava temporada. Depois escutamos de novo durante a exibição dos créditos do mesmo episódio, interpretada por Florence and the Machine. Trata-se de uma canção que aparece várias vezes nos livros e que fala de Jenny de Oldstones, um personagem que viveu muito antes dos acontecimentos da série e cuja vida parece estar relacionada com a profecia “Azor Ahai”, ou o “Príncipe que foi Prometido”, mas também tem relação com Lyanna Stark. Duncan Targaryen, um ancestral de Daenerys e Jon, abandonou sua mulher após se apaixonar por Jenny. Ela era amiga de uma anã que morava no bosque e tinha características semelhantes as dos Filhos da Floresta. Embora os livros não falem muito mais sobre Jenny nem Duncan, a canção diz que ela “dança entre fantasmas”, o que muita gente interpreta como um mau presságio para o desfecho da história. Isso, claro, é simplesmente uma mera especulação a partir de uma canção composta por Djawadi, com letra completa de D.B. Weiss e David Benhioff. O clipe oficial pode ser visto no link: https://itsh.bo/2UqXenO.

Power Is Power

É resultado de uma colaboração entre a cantora norte-americana SZA, o canadense The Weeknd (que se declarou grande fã da série) e o rapper Travis Scott. Desde o anúncio de que a trilha sonora For The Throne teria uma colaboração entre estes três artistas, a expectativa era grande e o resultado não decepcionou. Além da ótima reação da crítica, o videoclipe se tornou um dos mais vistos do canal deGAME OF THRONES no YouTube. Trata-se de uma música pop cheia de energia e dividida em três partes: a primeira gira em torno de Jon Snow, a segunda é sobre Daenerys Targaryen e a última sobre os White Walkers. Os artistas não confirmam, mas o título pode ter sido inspirado em uma conversa entre Cersei e Little Finger durante a segunda temporada da série, em que ele lhe diz: “conhecimento é poder” e Cersei responde contundentemente: “poder é poder”. O clipe está disponível aqui:https://youtu.be/eTkxsPBTrnk

The Long Night”

Uma das peças musicais mais memoráveis da série faz parte do episódio mais longo de todos: o da Batalha de Winterfell. Ramin Djawadi criou a partitura para esse episódio como se fosse para um filme de terror. Por isso, a música faz parte do suspense, dos momentos alegres e também dos momentos de sofrimento pela morte de um personagem querido. O golpe de mestre da música deste episódio ocorre nos últimos dez minutos. Quando tudo parece terminado, uma peça de piano guia o público na tensão de ver (quase) todos os personagens perto da morte. A melodia é o acompanhamento perfeito para o que acontece depois. Nesta composição, Djawadi se inspirou em outra de suas criações, a trilha da série em que o suspense é tudo: Westworld.

A trilha sonora de GAME OF THRONES está disponível na íntegra em uma playlist do Spotify: