Ricardo Bacelar homenageia Belchior com o single “Vício Elegante”

O pianista, compositor e arranjador Ricardo Bacelar lança agora a regravação da “Vício Elegante”, a última canção do cantor e compositor Belchior, que completaria 72 anos no último dia 26 de outubro, feita em parceria pelos dois.

O single está disponível nas plataformas digitais, e o vídeo, registrado em estúdio com direção de Nando Chagas, pode ser acessado no YouTube.

Assista:

O ano é de 1996. Belchior entra em estúdio para gravar o penúltimo disco de sua carreira. Para a direção musical e arranjos, a gravadora GPA convoca Ricardo Bacelar, sob a produção de Guti Carvalho. A ideia era fazer um disco explorando o lado intérprete de Belchior. Ele e Bacelar estão à vontade: os dois são cearenses e já dividiram o palco algumas vezes. No repertório do álbum, Roberto Carlos, Adriana Calcanhoto, Caetano Veloso, Chico Buarque.

Para completar o repertório, Belchior propõe a Ricardo Bacelar que componham uma canção e, no estúdio, os dois trabalham incessantemente até criarem “Vício Elegante”, a última letra inédita gravada por Belchior, e que também acaba dando nome ao disco.

Vinte e dois anos depois daquela gravação, e um ano e meio após a morte de Belchior, Ricardo Bacelar homenageia o parceiro e amigo regravando esta canção que reúne muitos dos atributos do letrista Belchior, como o lirismo refinado e antenado com os anos 1990.

Para efetuar o registro, Bacelar convidou Delia Fischer para escrever o arranjo de cordas e produzir a gravação. Realizada no estúdio da Biscoito Fino, Delia reuniu uma orquestra com oito violinos, duas violas, dois violoncelos, um contrabaixo, juntamente com o piano e voz de Ricardo. Felipe Abreu fez a preparação vocal. O resultado é suave, poético e inspirador.

Bacelar guarda com carinho uma fita que registra o momento em que os dois trabalham na melodia. A amizade dos dois se iniciou em 1988, quando tocaram juntos pela primeira vez. Ele ainda trabalhou em alguns discos da gravadora de Belchior (Camerati). Belchior participou de uma faixa no primeiro disco solo de Ricardo Bacelar: “Tempos de Liberdade” (Ricardo Bacelar/Jorge Hélio Chaves), do álbum “in natura” (2001).

Ricardo Bacelar, que integrou o grupo carioca Hanoi Hanoi, lançou em 2018 o terceiro trabalho solo de sua carreira: “Sebastiana”. Com uma vertente jazzística, o disco foi gravado e mixado em 2017 em Miami, nos Estados Unidos, nos lendários estúdios Hit Factory (Criteria) e Rebel 11. Lançado em março de 2018 na América Latina, Japão, Europa e Estados Unidos, o álbum entrou na lista dos 50 discos mais tocados nas rádios de jazz norte-americanas em abril e durante 16 semanas ficou entre os 100 mais tocados. “Sebastiana” gravita em torno de uma releitura latino-americana de uma porção do repertório da música brasileira.