Selo Inbraza vai lançar novos talentos da música pop em parceria com a Som Livre

Sérgio Santos, Ruxell e Pablo Bispo na Som Livre/Crédito: Andre Rola

Uma nova parceria chega ainda este ano para movimentar o mercado de música pop no Brasil. A Som Livre se associou ao Inbraza, novo selo dedicado ao gênero que leva a assinatura dos Dogz, trio de produtores formado por Pablo Bispo, Sérgio Santos e Ruxell. Também está na parceria a Liga Entretenimento. O objetivo é encontrar artistas com diferentes sonoridades e formatos e o Inbraza já nasce com um time diverso, com nomes como Dada Yute, Blue e Lukinhas. O primeiro lançamento está marcado para outubro.

Acumulando experiência no mercado e com mais de 3 bilhões de plays em suas músicas, os Dogz são responsáveis por sucessos de nomes como Iza, Gloria Groove, Aretuza Lovi, Pabllo Vittar, Anitta, Di Ferrero, Lulu Santos e Preta Gil. Agora, buscam dar oportunidade para novos artistas e amplificar suas vozes. “Quem nos conhece sabe que a nossa pira sempre foi criar identidade dos artistas respeitando a verdade, a sua essência e como isso reflete no seu discurso, no que você propaga, no que você cativa! E o Inbraza é exatamente essa oportunidade de encontrar por todo o Brasil artistas novos, verdades novas, com os formatos mais loucos possíveis, mas que acima de tudo, sejam autênticos”, explica Pablo Bispo.

Os lançamentos do Inbraza serão feitos pela Som Livre em formato de licenciamento. Marcelo Soares, presidente da empresa, exalta a sinergia do projeto com a história da gravadora. “A Som Livre sempre abriu espaço para novos talentos e promoveu o fomento do conteúdo nacional, faz parte do nosso histórico e da nossa missão. A parceria com o Inbraza é exatamente o que a gente gosta e sabe fazer melhor”, avalia.

Além do trio de produtores, completam o time do Inbraza Malu Barbosa (New Business e Brand Experience), Alexandre Ktenas (Marketing) e Marcello Azevedo.

Confira abaixo os oito artistas que já fazem parte do selo:

Ana K

Ana K começou a cantar aos 4 anos na sala de casa. Aos 8 fez o seu primeiro show quando morava na Alemanha. Desde então, não parou mais. De volta ao Brasil abriu shows de bandas grandes e participou como cantora de uma minissérie na Rede Globo. Seu estilo é música pop com essência r&b, pitadas de soul e black music com sonoridade autêntica e atual.

Aya

Aya começou a cantar ao mesmo tempo que começou a falar. Quando pequena gostava de imitar a voz das cantoras que ouvia. Aos 7 anos ganhou um violão e encontrou na música uma forma de se expressar. Suas influências musicais são pop, rock, eletrônico e r&b.

Blue

Blue é uma cantora carioca cheia de atitude. Começou a cantar ainda quando criança e aos 5 anos de idade começou a ter aulas e cantar na igreja. Durante sua adolescência fez parte de bandas de rock e aos 17 anos decidiu seguir carreira solo. Suas influências passam por rock, r&b e pop.

Carol Bambo

Com influências de pop e música paraense, Carol Bambo traz um frescor apimentado com referências fortes não só da música da região Norte, mas de toda música brasileira.

Dada Yute

Dada Yute está na cena do reggae há mais de 15 anos. Sua música leva mensagens conscientes de resgate cultural da Jamaica e do reggae. Ao longo de sua carreira tocou em grandes festivais do estilo na Europa e gravou com grandes nomes do reggae internacional.

Kynnie
Kynnie começou a cantar ainda no colo do seu pai. Quando pequena, ao cantar, entrava em uma caixa de papelão para poder sentir a acústica. Na adolescência participou de concursos e desde então não parou de cantar. Suas influências passeiam entre pop, r&b, mpb, pagode, funk e soul.

Lukinhas

Lukinhas começou a se envolver com músicas aos 12 anos de idade, porém só com 15 anos começou a cantar. Com 18 cantava na noite em bandas até o momento que decidiu seguir solo. Suas influências vão desde hip hop até pagode.

Ruxell

Ruxell começou a tocar com 12 anos de idade e desde os 15 tocou em bandas. Estudou produção fonográfica, pois seu sonho sempre foi viver de música. Após produzir para outras pessoas, começou a fazer suas próprias produções de música eletrônica. Ao se juntar com os Dogz, trouxe sua bagagem do eletrônico para a música pop.