Dave Grohl: um dos rockstars mais aclamados da atualidade une vida pessoal e carreira em autobiografia repleta de bastidores

Entre golpes furiosos em baterias e riffs frenéticos de guitarras ao redor do mundo, um dos músicos mais dinâmicos do momento compartilha em um retrato real, cru e honesto as memórias da sua vida particular e da excitante carreira em O contador de histórias. Potente e inspiradora, a autobiografia de Dave Grohl, que chega às livrarias em janeiro pela Intrínseca, revela casos de backstage, loucos encontros com outros astros e reflexões sobre o ofício de ser músico, em uma viagem pela história do rock nos últimos 30 anos.
 
“Desde pequeno, sempre medi a minha vida por parâmetros musicais, não por meses ou anos. Para me lembrar de um lugar ou de uma época específicos, minha mente se guia fielmente por canções, álbuns e bandas.” Esta afirmação no início do livro dá o tom da narrativa, que mescla de forma harmoniosa as relações familiares do multi-instrumentista, suas emoções e impressões sobre a vida e suas intensas experiências como músico.
 
O contador de histórias também revela episódios pouco conhecidos do grande público, como a inesperada parceria de poucas horas com Iggy Pop, quando Dave ainda estreava nos palcos com a banda de punk Scream. Os muitos percalços desta primeira experiência como profissional são vistos por ele como uma experiência fundamental para a sua formação.
 
Foi nos turbulentos anos como baterista do Nirvana — que, segundo ele, era uma banda com uma “dinâmica disfuncional e esquisita” — que Dave conheceu o sucesso. Ele revisita esta época em histórias reveladoras e descreve ainda a grande tristeza pela morte de Kurt Cobain. Após um período de profunda melancolia, ele conta como a música mais uma vez foi a salvação. De “aquele cara do Nirvana”, Dave Grohl resgatou suas composições da adolescência e se reinventou como fundador do Foo Fighters. Dos muitos anos como líder de uma das bandas de rock mais famosas do planeta, ele revela inseguranças e muitas aventuras.
 
Além de celebrar seu amor visceral pela música e seus colegas músicos, a autobiografia oferece relatos dos encontros fascinantes de Dave com outros rockstars, como o dia em que conheceu ninguém menos que Sir Paul McCartney no Royal Albert Hall e se deparou com Little Richard, um dos seus maiores ídolos. O contador de histórias apresenta uma trajetória marcada por situações bizarras, dores inimagináveis, contratempos descomunais e conquistas ainda maiores. Com honestidade, emoção e humor, Dave Grohl mostra como ser uma pessoa amável sem perder a famosa “atitude rock’n’roll” e afirma em alto e bom som que a vida como um astro do rock “é tudo o que parece ser e muito mais”.

%d blogueiros gostam disto: