Filme “Central do Brasil” completa 20 anos e ganhará cópias restauradas

“Central do Brasil”, dirigido por Walter Salles, estará de volta à tela grande em cópia restaurada em 4k, com a primeira exibição no Brasil na 42ª Mostra São Paulo. A sessão, em comemoração aos 20 anos deste clássico nacional, será realizada no dia 30 de outubro e terá a presença do diretor, da atriz Fernanda Montenegro e do ator Vinícius de Oliveira. O filme também será exibido no Festival do Rio no dia 3 de novembro, na Mostra Clássicos e Cults, e será relançado com uma nova edição em DVD no mês de dezembro.

O longa conquistou mais de 50 prêmios internacionais, entre eles destacam-se: o Urso de Ouro no Festival de Berlim e o Urso de Prata de Melhor Atriz para Fernanda Montenegro; além disso, foi consagrado como Melhor Filme Estrangeiro no BAFTA, em Londres, e no Globo de Ouro, em Los Angeles.

“Central do Brasil” foi restaurado com o apoio do CNC, o Centro Nacional de Cinematografia francês, e da coprodutora francesa MACT.  Pela VideoFilmes, o trabalho foi coordenado por Maria Carlota Bruno, diretora da produtora. O restauro e a marcação de luz da primeira cópia do filme em 4K  foram realizadas no laboratório francês Éclair, e supervisionados pessoalmente por Walter Salles. A versão digitalizada de “Central do Brasil” respeita o formato panorâmico (2.35) em que foi filmado por Walter Carvalho, em Super 35.

O DVD do filme terá extras como o documentário “Socorro Nobre” dirigido por Walter Salles (1995, 23’) e fotos da filmagem feitas por Walter Salles, Walter Carvalho, Paula Prandini e Ricardo Sá. Para completar a  efeméride em torno do filme, “Central do Brasil” foi apresentado nesse ano no Festival de Bologna na Itália e foi relançado na França em julho de 2018, já com a nova cópia digital. O clássico também será exibido no Lisbon & Sintra Film Festival , que ocorrerá em Portugal, entre 16 e 25 de novembro de 2018, e no Panorama Coisa de Cinema, que acontece de 14 a 21 de novembro, em Salvador.

“Central do Brasil” também ganhou um site novo, resgatando textos do diretor e críticas publicadas na época do lançamento nos cinemas, em 1998. E ainda, um novo cartaz inspirado na peça utilizada na estreia do longa na França, há duas décadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: