Lucas Pretti lança seu primeiro EP e novo clipe nesta sexta-feira

Lucas Pretti_Roda_2_Créditos_ Leo Bicalho_Easy-Resize.com
Foto: Leo Bicalho

Lucas Pretti, jovem cantor e compositor mineiro, lança hoje (27), o seu aguardado EP de estreia, “Roda”, com cinco músicas compostas por ele (sendo três inéditas), que contam histórias de relacionamentos amorosos. Além de “Não Quero Mais” e “Gosto de Você” (singles lançados nos dois últimos meses), o EP traz as inéditas “A Gente Ainda Vai”, “Roda” e “Você Me deixa”. O trabalho é distribuído pela Ditto Music e foi produzido e mixado pela Head Media, um dos principais estúdios de produção musical do Brasil, também responsável por trabalhos dos cantores Vitão, Day, Carol Biazin, entre outros.

Ouça o EP.

A faixa “Roda” também está sendo lançada hoje como single e vem acompanhada de um videoclipe dirigido por Leo Ferraz, da Head Video, braço audiovisual da Head Media. O clipe tem como cenário diversos círculos coloridos de néon, remetendo à rodas e representando um ciclo de relacionamento amoroso vai e vem, tema da música. Toda a iluminação e conceito teve o tema “relacionamento iô iô” em mente.

“O EP ‘Roda’ é totalmente sobre relacionamentos”, conta Lucas. “‘A Gente Ainda Vai’ é sobre um relacionamento que ainda vai acontecer; ‘Gosto de Você’ fala sobre quando o casal já se conhece e se gosta, mas não se assumiram ainda; ‘Você Me deixa’ é sobre um relacionamento aberto e as complicações disso; ‘Roda’ fala sobre uma relação vai e volta e o EP finaliza com ‘Não Quero Mais’’ que é uma superação amorosa. O EP pode ser interpretado como vários relacionamentos diferentes ou até mesmo como uma linha contínua, as várias fases de uma mesma relação.”

Sobre o processo de composição das músicas, Lucas conta que “algumas faixas eu escrevi em outubro do ano passado, há um ano, e a mais recente foi escrita em agosto deste ano. Foi um EP construído ao longo de um período de incertezas, coronavírus… Quando comecei a escrever, não sabia qual formato ele tomaria, qual tema eu queria abordar neste trabalho. Acho que a quarentena, período em que escrevi a maior parte das músicas, me inspirou a escrever sobre um assunto que não muda e é eterno, que é relacionamentos amorosos. Independente de pandemia ou não, todos têm muitos relacionamentos durante a vida e vão passar por isso. É algo com o qual as pessoas vão se identificar facilmente. Eu não queria fazer várias músicas de amor, até porque eu já tenho no meu repertório várias músicas com este tema. Para mim, o amor puro apaixonado não abrange todos os tipos de amor e relacionamento que as pessoas têm, não é uma realidade e sim uma fantasia. Por isso, eu quis incluir um pouquinho de algumas facetas e possibilidades do amor dentro de um relacionamento neste trabalho e estou muito feliz com o resultado”, conclui.

%d blogueiros gostam disto: