“Pode Amar”: Maíra Garrido exalta todas as formas de amor em primeiro EP da carreira

Nesta sexta-feira, 18 de março, chega às plataformas musicais o primeiro EP de Maíra Garrido, que conta com cinco faixas, incluindo a que dá nome ao projeto, “Pode Amar”, lançada em janeiro, um feat com Juliana Linhares.

Maíra Garrido se destaca por ter uma voz forte e potente. Com seu canto, ela reforça seu posicionamento enquanto artista queer, gorda e lésbica, contribuindo para a construção de um mundo onde ela e seus pares possam encontrar mais empatia, amor e diálogo.

“O nome do disco, ‘Pode Amar’, é um convite para que as pessoas amem mais, porque eu acredito que o amor é a força motriz de transformação de tudo, inclusive não vejo sentido na repressão de qualquer forma de amor. Eu quero mais é que as pessoas se amem!”, pontua.

As faixas, na ordem, são “Pode Amar”, “Alma de Criança”, “Âmbar”, “Segue teu rumo” e “Ventania (Afeto-Esmola)”. O EP “Pode Amar” tem produção musical de Fabrício Matos e André Vasconcellos, com arranjos de Lourenço Vasconcellos, que também é responsável por tocar a bateria e o vibrafone no projeto. Navalha Carrera assume as guitarras e a viola, Ivo Senra o piano e o teclado, e Miguel Dias o baixo. Fechando o time de músicos, Lucas Videla toca as percussões. “Ventania (Afeto-Esmola)” contou também com um trio de sopros: Karina Neves (flauta baixo), Alessandro Jeremias (trompa) e Carolainne de Andrade (fagote).

“Pode Amar”, diferente dos lançamentos anteriores de Maíra, não terá clipes. A parte visual será um curta-metragem, com previsão de lançamento para junho, Mês do Orgulho LGBTQIAP+, que abordará a importância da união da comunidade.

%d blogueiros gostam disto: