Tuim reflete sobre a liberdade do indivíduo em “Não me Segue”

A potência do indivíduo floresce por meio da reflexão, a faísca dos pensamentos que nascem pela combustão – racional e passional – das necessidades e desejos internos. Este é um dos pontos de partida e possibilidades de “Não me Segue”, a nova música do duo carioca Tuim, que em tempos de likes nas redes, quer apenas sorrisos espontâneos e a liberdade para ir e vir guiados pelas emoções. A nova música antecede uma grande notícia: o Tuim fez a trilha sonora de um espetáculo teatral chamado Bichos Dançantes, que vai ser lançado no dia 04/09.

A doçura permeia esta canção, composta por Paula Raia e Felipe Habib ainda em 2019 e que inclusive estava no repertório do último show do Tuim, antes da pandemia. Aliás, a imersão profunda da humanidade no mundo virtual devido ao necessário distanciamento social nestes tempos – que ainda vigoram – coloca “Não me Segue” no debate sobre saúde mental e busca da liberdade individual.

Na música, o duo, entre acordes de violão e melodias suaves, transitando entre o pop e a MPB, convida todos nós para sairmos da introspecção e inércia e ampliar-nos em alegrias e vontades. Paula e Habib pedem o olhar interior para, em seguida, vislumbrar um universo todo, mas numa dinâmica que deve ser única para valer a pena.

“Não me Segue”, apesar do título, é uma canção e reflexão passíveis de múltiplas contemplações e admirações. As harmonias progressivas e a letra tão pertinente à realidade dão a sensação de querer expandir, de logo poder abraçar todas as pessoas queridas e sair em festa com eles. É o caminho do sair do micro e ir ao macro, de desolar a solidão e mergulhar na imensidão.

“Não me segue não, porque seguir alguém é andar sem pernas”, cantam altivamente o Tuim no refrão. É o alerta máximo para ser autêntico na multidão e trilhe o caminho junto a alguém apenas quando os corações estiverem em sintonia.

Existe ainda, neste single, uma coragem de artista do Tuim, de pedir para ser seguido exclusivamente pela arte, pela sua música.

A letra de “Não me segue” é a leitura de um sonho da Paula. Ela sonhou que dormia na casa dos pais e de repente se levanta para ir à rua, sentar-se num banco ali próximo, um conforto pessoal desde a infância. No mesmo banco havia um homem, desconhecido, que começa a perguntar “para onde você vai?”, um desconforto e pressão que faz Paula sair correndo rua abaixo até encontrar um bloco de carnaval já em marcha, o qual ela se junta e segue em alegria – entre amigos e alegrias.

%d blogueiros gostam disto: