Tuyo apresenta “Fragmentos 2”, em que mostra novas versões para faixas de “Chegamos Sozinhos em Casa”

A série documental musicada Fragmentos foi a maneira que a banda Tuyo encontrou para dar novas possibilidades ao álbum Chegamos Sozinhos Em Casa (2021), indicado ao Grammy Latino na categoria “Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa”, além de percorrer por outras fases do próprio repertório. Após lançar os oito episódios no YouTube, o grupo formado por Lio, Lay e Machado deu início ao processo de disponibilizar as faixas que compõem a trilha sonora de cada um deles nas plataformas de streaming. Fragmentos 1, composto por nove músicas, foi liberado em dezembro e, agora, no dia 27 de janeiro, é a vez de Fragmentos 2 chegar ao público (ouça aqui). 

Fragmentos 2 lista sete faixas, sendo todas elas do álbum Chegamos Sozinhos Em Casa, mas em novas versões. “Nossa vontade era sair em turnê após o lançamento do disco, mas o panorama da pandemia ainda não permitia”, comenta Lio. “Então fomos testar outros formatos e linguagens para aquelas canções. É muito interessante entender que, dependendo da intensidade como performamos, cada uma delas tem a possibilidade de ganhar outros sentidos”, ela complementa. Não à toa, o trio convidou Luis Fernando Diogo (baterista) e o produtor Lucs Romero (teclados), instrumentistas que somam a Tuyo em apresentações, para se juntarem a este registro. 

Das muitas histórias presentes em Chegamos Sozinhos Em Casa, a Tuyo escolheu “Pra Curar”, “Sonho da Lay” (assista ao videoclipe aqui), que foi indicada ao Prêmio Multishow na categoria Canção do Ano, “Vitória Vila Velha”, “Do Lado de Dentro” (assista ao videoclipe aqui), “Sem Mentir” (assista ao videoclipe aqui), “Tem Tanto Deus” e “Turvo” para compor a tracklist de Fragmentos 2. “Providenciar novas provocações sobre o disco é algo que nos move, faz com que ele siga vivo. Também é uma maneira de instigar quem nos ouve a enfrentar os próprios entraves, mas de forma segura”, afirma Lio. “Ainda vamos abrir muitas portas nesse corredor enorme que compõem o álbum. Vamos tratá-lo como um organismo vivo que se modifica e se desdobra na frente das pessoas”, finaliza a artista.

%d blogueiros gostam disto: