Com ensinamentos e inspirações que vêm do espiritismo, Erick Roza lança EP

Foto: Beatriz Person

Recentemente o cantor e compositor Erick Roza lançou o EP “MPB Espírita”, pelo selo Best Play. O novo trabalho chega com participação especial do seu pai Marcelo Souza na faixa “Senhor, senhor!”. Marcelo ganhou notoriedade nacional por ser um dos integrantes do Polegar, uma das “boy bands” brasileiras de maior sucesso nos anos 80 e 90. Ele inclusive participou da reunião para comemorar os 25 anos de carreira do grupo, que ocorreu em 2014. Na ocasião, todos os integrantes originais fizeram aparições em diversos programas de TV e contaram histórias e curiosidades sobre os anos de maior sucesso da banda.

Como o próprio nome diz, o EP “MPB Espírita” traz ensinamentos e inspirações que vem do espiritismo, doutrina que Erick não apenas pratica, mas também se dedica em inspirar outros jovens através de seu canal no youtube, intitulado “Jovem Espírita”.

O lançamento conta com as inéditas “Senhor, senhor!” (Feat com Marcelo Souza), “Estações” e o single “Duas Metades”, lançado recentemente pelo cantor e que já conta com mais de 175 mil plays nas plataformas digitais. 

Confira a tracklist do EP:
1 – Senhor, senhor! (feat com Marcelo Souza)
2 – Duas Metades
3 – Estações

Para saber mais detalhes sobre o novo trabalho e a parceria entre pai e filho, conversamos com Erick e Marcelo em uma entrevista exclusiva. Confira: 

Como está sendo lançar o EP “MPB Espírita”? 
Erick: É um EP que eu estou planejando há anos. Sempre quis que meu trabalho voltasse para essa temática, pois esse lado “espírita” é muito forte em mim e poder finalmente lançar ele e gritar isso ao mundo vem sendo ótimo.

Conta um pouco sobre as composições deste novo trabalho.
Erick: Na canção “Senhor, senhor!” busquei trazer uma crítica, sobre a hipocrisia. Em que vivem pregando com a boca os ensinamentos de Cristo, mas não pregam com o coração. Lógico que ninguém é perfeito, nem eu e nem você que está lendo essa entrevista, mas tem gente que utiliza o que Jesus nos passou para tirar algum tipo de proveito pessoal. Isso é totalmente o oposto do que ele veio nos ensinar.

Já em “Duas Metades” quis, em primeiro lugar, dar um conselho a mim mesmo, e por meio disso tentar passar uma mensagem para quem fosse ouvir, que é: está tudo bem não estar bem às vezes. Nos cobramos demais e queremos ser produtivos 100% do tempo, mas em algum momento isso começa a nos fazer mal.

E na música “estações” eu falei sobre mudanças, como as próprias estações. Cada estação começa e termina, carrega as suas próprias belezas, mas em algum momento dá lugar para a próxima estação. De repente tudo muda de lugar, tanto os momentos mais chuvosos quanto os mais ensolarados. Não precisamos levar a vida com tanta rigidez, deveria ser mais leve, mais simples.

“Senhor, senhor!” é a sua faixa com o seu pai. Como foi gravar com ele esse single? 
Erick: Simmm. Foi muito bacana!! Se sou músico hoje é graças ao meu Pai! Sou muito grato a ele. Poder gravar junto não poderia ter sido nada menos que fantástico. Sem contar que atualmente ele é advogado, então eu arrastei ele para o estúdio (risos)

Vocês também gravaram o clipe juntos em Minas Gerais. Como foram as gravações e como foi dividir a cena com seu pai? 
Erick: Sim, gravamos e foi lindo. O lugar era lindo e conversou perfeitamente com o que queríamos passar na música. Fluiu super bem. Eu, particularmente, achei bem divertido e curioso porque faziam anos que meu pai não gravava um clipe, mas parece que é como andar de bicicleta, quando ligaram as câmeras é como se ele gravasse clipe toda semana.  

Como você definiria esse EP? 
Erick: Um pedaço de mim em forma de canções.

Como foi o convite para participar desse single? 
Marcelo: O convite foi de uma forma totalmente despretensiosa. Estávamos conversando e ele falou “Pô, Papai, vamos cantar uma música juntos? Eu posso compôr”. Fomos conversando, demorou bastante. Demoraram meses porque eu estava morando nos Estados Unidos e precisava voltar para gravar com ele. Foi um processo demorado, mas foi um trabalho maravilhoso.

O quão especial é ver seu filho seguindo o caminho na música? 
Marcelo: Ver meu filho hoje na música é muito gratificante. Na verdade, digo, em tudo o que envolve a vida dele, seja como advogado, empresário, músico, compositor, instrumentista e etc. Sinto muito orgulho. É um legado que eu deixei em vida e ele abraçou. Isso é muito legal.

Gostaria de voltar para o mercado? 
Marcelo: Eu gosto muito da música, até teria interesse em voltar para o mercado, sem problema algum. Mas hoje eu sou advogado e para voltar para a música eu teria que deixar a advocacia de lado. E só deixaria de lado se fosse algo muito sério, se envolvesse um bom empresário, um bom projeto… Se isso acontecesse, com certeza eu voltaria para a música.

%d blogueiros gostam disto: