Curta dirigido por Camila Rizzo estreia no Washington West Film Festival

O curta-metragem “Headway”, dirigido pela brasileira Camila Rizzo e produzido pelas também brasileiras Bruna Cabral e Ligia Osorio, vai ser exibido na capital de Washington, nos Estados Unidos, no festival Washington West Film Festival nos dias 26 e 27 de outubro.

Headway também foi selecionado para outros 3 festivais nos Estados Unidos até agora, entre eles o Los Angeles International Film Festival (LA Shorts Fest), que é um dos maiores e mais prestigiados festivais de curtas-metragens do mundo, além de classificar os vencedores para o OSCAR.

O curta-metragem fala sobre duas jornadas interiores: a de um menino de onze anos que precisa lidar com as singularidades do autismo, e a de um lutador de MMA que, aos quase quarenta anos, enfrenta o delicado momento da aposentadoria. Ambas as histórias se convergem em um profundo e emocionante encontro tendo o jiu-jitsu como ponte nesta relação, e um passa a ser para o outro a saída que precisam para superar suas questões.

Headway é um drama baseado em 2 personagens brasileiros reais: Pedro Rizzo e Igor Nogueira.

O ex-lutador de MMA, Pedro Rizzo, que já foi 2 vezes campeão mundial, foi lutador do UFC, derrotou 6 campeões do UFC, sofreu com a decisão de se aposentar, como acontece com muitos atletas por ter que finalizar a carreira tão cedo e recomeçar algo do zero. Hoje, Pedro Rizzo coordena um projeto social chamado Usina de Campeões, onde mais de 700 crianças treinam artes marciais, na comunidade de Manguinhos, no Rio de Janeiro.

Igor Nogueira, jovem baiano, superou alguns sintomas do autismo através do Jiu-Jitsu como interação social e a questão do toque. Igor se tornou atleta profissional, já venceu muitos torneios e em abril deste ano, ganhou uma medalha de ouro e uma de prata no mundial de Jiu-Jitsu, em Abu Dhabi.

O curta pretende fazer uma campanha de inclusão do autismo destacando o esporte como ferramenta de mudança e inclusão social. Pretendemos mostrar a importância do esporte na vida de cada um de maneiras diferentes e acreditamos que essa história pode inspirar muitas pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: