“Fica Tranquila”, sucesso de Greg BBX, ganha remixes, com participação da Tília Fialho e assinados por Dennis DJ, Neo Beats e Papatinho

Greg BBX_Easy-Resize.com

O cantor Greg BBX conta com as assinaturas de Dennis DJ, Neo Beats e Papatinho em três versões remix de seu mais novo single, “Fica Tranquila”, sua colaboração com Tília Fialho. Os remixes foram lançados nesta sexta-feira (9) e o Caderno Pop bateu um papo com o cantor (confira no final do texto).

“A ideia do remix surgiu depois que a gente percebeu que os fãs estavam muito ligados no clipe de ‘Fica tranquila’, que a Tília participou. Eles estavam curtindo muito essa nossa interação. Então, como ela já tinha participado do clipe, a convidei para participar do primeiro remix, dessa vez com ela cantando. Foi aí que surgiu a primeira versão, comigo, Tília e o Papatinho. A ideia foi tão boa que resolvemos convidar outros dois produtores para fazerem uma versão diferente. Uma versão ainda mais dançante com o Neo e uma versão mega animada com Dennis”, conta Greg.

“O remix do Denis DJ foi uma experiência muito maneira. Eu sempre tive vontade de fazer um funk, uma mistura de rap com o funk, ou uma parceria com alguém do meio. E esse remix do Dennis me deu essa possibilidade de cantar um funk, era um rap e com a batida dele, a música se transformou em outro gênero, ficando bem dançante e animada. Espero que a galera goste, é a primeira mistura de Greg BBX, Tília e Dennis DJ no funk”, acrescenta o artista.

Ouça:

“Com Neo Beats eu experimentei uma mudança grande. Não era o que eu esperava, foi surpreendente. Achei que seria um rap mais pesado, mas ‘Fica tranquila’ ganhou um ar das pistas de dança, com uma levada que me lembrou ‘Daft Punk’. Ao mesmo tempo que a faixa ganhou uma suavidade ela tá muito dançante. Me amarrei”, completa.

Ouça:

Tília também comentou sua participação: “Ah, eu fiquei muito feliz com o convite porque a primeira vez que tive a oportunidade de trabalhar com o Greg foi atuando no clipe de “Fica Tranquila” e, desde então, eu amo essa música. E agora, ter sido convidada para cantar na versão remix está sendo uma felicidade ainda maior. Estou curtindo demais essa versão com a minha voz, sabe? A união das nossas vozes ficou bem legal e tenho certeza que o público vai curtir também”.

Ouça:

Apresentada em julho, a faixa é resultado de mais uma colaboração entre o jovem artista e o renomado produtor Papatinho. O videoclipe oficial já supera 600 mil visualizações e traz a participação da cantora Tília Fialho.

A música, que traz em seu DNA elementos do R&B e da MPB combinados ao flow típico do rap norte-americano, surgiu de uma gravação guardada há cerca de um ano no celular de Greg. O artista conta que se deparou com o refrão em meio aos arquivos salvos em seu celular e decidiu voltar a trabalhar na faixa. Ele deu uma nova roupagem à música, terminou de escrevê-la ao violão e a mandou para Papatinho, que devolveu um beat “totalmente diferente de tudo o que Greg já tinha ouvido”.

Greg BBX começou sua carreira aos seis anos, se inspirando nos maiores beatboxers do mundo e já teve o prazer de dividir o palco com vários artistas, como Marcelo D2, Flora Matos, Xis, SNJ, Fernandinho Beatbox, ConeCrew Diretoria, L7nnon e Orochi.

Confira entrevista:

Transformar uma música em remix é sempre um desafio, porque você acaba entregando sua assinatura para outra pessoa, mas nesse caso, foi com pessoas que você conhecia, gostava e até tinha vontade de fazer algum trabalho juntos. Esse foi o peso principal nessa decisão?
É complicado, mas sabendo dos três produtores que fariam parte do projeto eu já fiquei mais tranquilo. Sou fã do trabalho dos três e fiquei muito feliz por terem topado participar.

Esse não é seu primeiro trabalho com o Papatinho e você tem ele como seu principal parceiro de produção. Tem outros produtores que você pensa em fazer alguma coisa futuramente? Pode ser internacional também!
Pô tem inúmeros produtores que eu gostaria de trabalhar, tanto no brasil quanto fora. Mas meu sonho é ter uma batida do Metro Boomin, produtor americano.

“Fica Tranquila” ficou guardada um tempinho e só agora na pandemia foi finalizada. Você tinha outros materiais na manga? Por que achou que era hora de soltar especificamente esse som?
Sim, eu tinha outras ideias de músicas guardadas, mas por algum motivo essa me despertou algo diferente. Escutei um dia, no outro, ainda estava com o refrão na cabeça, então falei “é essa!”.

A música começou com uma gravação no celular, pra só depois ganhar a produção que a gente já conhece. É assim que você faz com todos os seus materiais, ou pelo menos boa parte deles? Hoje o celular é uma ferramenta tão importante quanto outros equipamentos que são usados na produção musical?
Na realidade foi a primeira vez que fiz isso. Geralmente quando guardo uma música, é porque não gostei tanto na hora e é difícil eu voltar nela, mas ainda bem que nessa aconteceu hahahah O celular hoje serve como meu caderno de anotações, onde guardo minha letras e melodias que me vem na cabeça, então é muito importante pra mim sim.

%d blogueiros gostam disto: