Inspirado em Lady Gaga, Vitor Fadul lança clipe de “Vai Sem Medo”

Foto: Alex Lyrio

Nesta sexta-feira (13), o cantor Vitor Fadul lança seu novo single “Vai Sem Medo”, onde o artista aposta em uma batida de electropop dançante com uma letra sobre a capacidade que o ser humano tem de tomar o controle da própria vida e superar os desafios. Para o audiovisual, uma atmosfera onírica, fantasiosa e neon domina o ambiente. Perguntado sobre a canção, ele não pensa duas vezes ao contar sua maior inspiração: “Lady Gaga”. A produção é assinada por Rique Azevedo, que colaborou em grandes hits de Sandy & Junior, como “Dig Dig Joy” e “Desperdiçou”. O clipe, por sua vez, foi dirigido por Pedro Burgerbrau e Thomas Henne.

“A principal mensagem da música é de que, apesar de qualquer circunstância, de qualquer abismo, se for da minha própria vontade, a minha força do querer promoverá mais poder”, explica Vitor Fadul. Os diretores responsáveis pelo projeto apontam o expressionismo alemão e o minimalismo como inspirações visuais do projeto. “Tudo foi gravado em um estúdio preto e com elementos do personagem, que vai se desmembrando em três”, destacam. “É um clipe de contrastes, a gente se pergunta o que é imaginário e o que é realidade. Exploramos luz e sombra, sempre de forma dramática. Trouxemos inspirações de um cinema teatral dos anos 20 e 30 para essa história”, completam.

Confira o nosso papo com o artista:

Vitor, você mencionou que sua inspiração para o clipe foi a Lady Gaga. Poderia falar mais sobre como ela foi uma referência para esse trabalho?
Como artista, ela é uma inspiração para mim. Mas não exatamente porque quero pegar algo que ela fez e usar… Lady Gaga, por ser uma artista autêntica que eu amo há muito tempo, acaba influenciando o meu trabalho de um modo geral. Eu nunca tenho uma pessoa, um artista que eu paro e penso: agora vou me inspirar só nesse, ou em vários… não, eu não faço esse processo, mas, compreendo que tudo o que escutei na vida, e que eu vi, no fim das contas tem influência no meu processo criativo de uma forma ampla, sabe?

Em “Vai Sem Medo”, você entrega um pop mais eletrônico. Como foi explorar essa nova vertente do ritmo?
Foi super gostoso! Entendo que o pop é realmente muito democrático, pois nele cabe tudo e todos e, desta forma, compreendo que esse é um trabalho pop, que mostra um universo mais específico. Um trabalho feito com muito amor e carinho para todos que gostam, acreditam, apoiam e amam o meu trabalho. Meus fãs são a minha vida, a minha riqueza!

De que forma você se identifica com a mensagem da música?
Eu sei que eu posso mais, eu quero ser mais, ser melhor a cada dia! Às vezes, precisamos nos resgatar de condições que nós mesmos nos colocamos, que podem nos levar a caminhos muito distantes daquele que é nosso objetivo. Então estar atento ao que o próprio cérebro está nos encaminhando é fundamental para mim, porque quero ser o melhor de mim a cada dia. Por mais difícil que seja algumas coisas, se são necessárias para o crescimento como ser humano e consequentemente como artista, é, sem dúvidas, aquilo que eu quero.

Como foi o seu processo criativo de “Vai Sem Medo”?
Eu sou muito detalhista, então, fico verificando tudo. Fico tendo ideias, acrescentando, esculpindo, retirando e colocando. Cada lançamento é como um filho que vai para o mundo.

%d blogueiros gostam disto: