“Louca Paranoica Possessiva”: confira entrevista sobre o novo single da Ariah

Aos poucos aprofundando as temáticas de suas canções, Ariah retorna com um trabalho impactante. Cantando “nos meus maiores pesadelos, eu vejo você”, o single “Louca Paranoica Possessiva”, já se encontra disponível em todas as plataformas de streaming.

Carregada de influências sonoras que transitam entre o pop-punk e pop dos anos 80, com um punhado de referências absorvidas do álbum “Thriller”, de Michael Jackson – um disco que marcou uma distinta era musical – Ariah abre seu coração.

A temática explorada na composição da cantora, nasce a partir de sua busca por mais autoconhecimento. Emergindo de suas camadas mais íntimas e profundas, a lembrança um de seus relacionamentos mais conturbados, lhe rendeu dois singles, incluindo a já conhecida, “Pano de Chão”. Este lançamento é mais um gesto de doação e empatia da artista que tem por maior objetivo, oferecer suporte a quem estiver passando pela mesma situação.

“Por vezes, nos encontramos tão imersos em relacionamentos abusivos que a nossa visão desse amor é totalmente distorcida. O que inspirou essa música foi uma experiência de abuso psicológico, em que a outra parte me acusava de traição, enquanto acobertava suas escapadas e me manipulava. A percepção que tinha de nós, era tão alterada que passei a ter raiva de mim mesma. Infelizmente, comportamentos agressivos não são exceção à regra. Minha expressão em forma de música, é em solidariedade as vítimas de relacionamentos tóxicos. Àqueles que tenham superado este pesadelo, ou não”, expõe Ariah.

Confira nosso papo com a artista:

No começo do ano você lançou “Pano de Chão”, também retratando a vida amorosa. Você é dessas que não deixa barato e se desfaz de tudo de ex ou a música vem mais em tom de libertação para outras mulheres e homens que passam por essa mesma situação?
Eu acho que mais importante e significativo do que se livrar de presentes ou coisas de ex é ressignificar esses objetos. Por exemplo, eu me sinto muito melhor usando a camiseta do ex para limpar a casa do que jogando fora. Dá um ar de liberdade e superação indescritíveis. Você se beneficia do objeto ao invés de ignorar a existência dele.

Voltando a “Louca Paranoica Obsessiva”, ela carrega elementos dos anos 1980, uma época de ouro da música. Você curte ouvir sons mais antigos? Quais artistas daquela época você carrega como influência ou gosta de ouvir?
Sim eu gosto muito! Uma das minhas maiores referências na música é o Freddie Mercury por exemplo.

O seu nome artístico traz o seu signo, Áries, que a gente já sabe tem muitas qualidades, mas também defeitos. O que um ariano jamais pode fazer por amor? Fica a dica pra todos os seus fãs aqui!
Ser trouxa ahahaha. Ficar insistindo em quem não tem reciprocidade. Se a pessoa me trata com indiferença eu trato igual.

Ariah, as suas músicas sempre trazem temáticas pessoais e o nome do novo single tem tudo a ver com todos nós. Em quais situações a Ariah se torna louca paranoica e possessiva?
A música fala sobre te chamarem tanto de coisas que você não é, que você começa a crer que é. Eu já cheguei a me considerar essas coisas porém depois vi que estava sendo manipulada, como fala a música.

%d blogueiros gostam disto: