“Me libertei de muitos ciclos comportamentais, mas ainda me vejo voltando a eles”, desabafa Sub Urban em entrevista ao Caderno Pop

Se você esteve atento às listas de músicas virais nos últimos meses, provavelmente se deparou com “Cradles”. A faixa, viralizada no TikTok, é do cantor, compositor e produtor estadunidense Sub Urban. “Cradles” fez com que o cantor ficasse conhecido mundialmente e neste ano, ele lançou seu primeiro EP pela Warner Music, “Thrill Seeker”.

Sub Urban é, na verdade, o alter ego e Danny Maisonneuve, de 19 anos. Nascido em Nyack, Nova Iorque, Estados Unidos, filho de mãe taiwanesa e pai franco-canadense, o artista foi criado nos subúrbios de Ridgewood, Nova Jersey, tendo permanecido por lá por quase toda a vida. Danny começou a produzir música digitalmente aos 15 anos e aprendeu a cantar logo depois de se desenvolver como produtor.

O músico foi treinado em piano clássico desde os seis anos, desistindo do instrumento ao afirmar que estava cansado de tocar composições de outras pessoas e que queria escrever suas próprias. Durante a maior parte da sua adolescência, Danny praticamente viveu na internet, vídeo games se tornaram um dos principais caminhos para o artista fazer amigos.

No segundo semestre de 2016 Danny abandonou o Ensino Médio para fazer música, nunca tendo terminado o segundo ano. Foi neste período que ele começou a construir seu portfólio de demos, aprimorando suas habilidades nos dois anos seguintes.

Por e-mail, o cantor falou ao Caderno Pop sobre as letras, saúde mental e como ter se tornado um artista mundialmente conhecido por causa da internet. Confira:

Sobre o sucesso de “Cradles”, que já possui números altamente expressivos. Em pouco tempo, isso fez você ser conhecido em todo o mundo. Conte como você ainda é impactado pelo sucesso dessa música na internet, especialmente no TikTok.

Passar de uma das crianças estranhas da escola para Sub Urban definitivamente validou meu ego e ajudou minha autoconfiança. Conheci muitas pessoas e amigos genuínos que nunca teria encontrado na indústria da música e no TikTok. Também me deu uma visão mais clara de onde eu preciso levar minha música.

Ainda falando sobre “Cradles”, a letra fala sobre sentimentos, tristeza, mas ao mesmo tempo sobre libertação e redenção. Alguma fase da sua vida te inspirou para essa letra?

Eu era um adolescente muito frustrado socialmente e lidei com muitas doenças mentais principalmente na minha vida, mas a certa altura comecei a coexistir com minhas tendências dissociativas. Essa música definitivamente expressou temas desses tempos difíceis em minha infância e adolescência.

As músicas do EP “Thrill Seeker” foram escritas há algum tempo, algumas antes do sucesso de “Cradles”. Os sentimentos expressos nas letras do EP ainda são os mesmos de Sub Urban hoje?

Cada música foi escrita entre 2016 e 2018, além da outra música. Escrevi “Cradles” em 2017 e foi lançada em 2019. Não me sinto da mesma maneira que senti durante esse período na adolescência. Eu amadureci, me libertei de muitos ciclos comportamentais, mas ainda me vejo voltando a eles de vez em quando. Ainda posso me relacionar com muitos sentimentos que expressei nas músicas do “Thrill Seeker”, mas enfrentei muitos novos conflitos e temas na minha vida atual.

Você nasceu quase ao mesmo tempo que a Internet e foi através da Internet que você alcançou o sucesso. Você já imaginou como seria um mundo sem Internet? Eu pergunto porque tenho 35 anos e tive meu primeiro contato com a Internet aos 15, então eu vivi esse tempo e hoje não consigo viver sem ela.

Eu definitivamente pensei nisso, percebo o quanto costumávamos depender de nossa imaginação antes da Internet, o único estímulo visual fabricado que tínhamos era TV e cinema. A Internet criou um pouco de uma cultura de TDAH devido à rapidez com que podemos absorver a mídia e a natureza viciante que acompanha esse poder. Somos capazes de absorver uma quantidade infinita de conhecimento e isso é algo que pode até ter aumentado nossa imaginação, dando-nos mais material de fonte para inspiração. Socialmente, sinto que, de várias maneiras, globalizou nosso senso de consciência e respeito, mas também nos proporcionou uma plataforma para desrespeito e julgamento, visto que qualquer um pode sentar atrás de uma tela e dizer o que quiser sem filtragem, sem consequências físicas. Se a internet nunca fosse inventada, estaríamos vivendo em um mundo muito mais lento, mas acredito que seríamos todos muito mais saudáveis.

Sobre a produção de sua música, você pode fazer tudo absolutamente sozinho. Em dias de isolamento já tem produções para um próximo EP? Podemos esperar um novo sucesso como “Cradles” nos próximos dias?

Já tive músicas mais do que suficientes para a duração do projeto de um álbum antes da quarentena. Agora, é apenas uma questão de terminar tudo. Meu desejo de criar foi um pouco para cima e para baixo recentemente, culpa da quarentena. Mas podem, absolutamente, esperar outra música de sucesso.

Assista “Cradles”:

%d blogueiros gostam disto: