“O ciclo só começou”, comemora Agnes Nunes sobre nova fase na carreira

Marcando um novo momento de carreira para Agnes Nunes, o álbum “Menina Mulher”, lançado recentemente, mostra a transição da jovem cantora, no seu amadurecimento de menina para mulher. Seu primeiro álbum chegou às plataformas de streaming e apresenta a sua essência e história, com elementos de suavidade e ao mesmo tempo cheios de potência.

Autora de inúmeros sucessos e de uma voz marcante, Agnes conta que o álbum foi pensado com amor e planejado por muito tempo para trazer a essência dessa nova etapa de sua vida. “Estou muito ansiosa e animada. Esse álbum é muito especial pra mim, faz bastante tempo que eu tô trabalhando nele, que eu me recolhi pra pensar inteiramente nessa coletânea. Ele conta sobre essa transição que eu tenho passado, da menina para a mulher. Eu tô com 19 anos, então tenho vivenciado muitas coisas que me fizeram e estão me fazendo amadurecer muito.”, conta Nunes.

Em entrevista ao Caderno Pop a artista contou que “o ciclo só começou e eu quer que tudo que venha junto de “Menina Mulher” seja especial demais”. Confira:

Oi Agnes, tudo bem? Obrigado pelo espaço e pelo papo com a gente. A primeira pergunta é sobre o seu primeiro álbum. Já temos alguns singles lançados, em um total de 10 faixas. O material já tá todo pronto ou ainda tá em fase de redescobrir alguns sons?
Faz mais de três anos que comecei a compor esse álbum, mas o processo de finalizar ele e fazer a sonoridade se encaixar foi até um pouquinho antes do álbum ser lançado. Combinou muito com o meu processo de amadurecimento pessoal mesmo, todo esse tempo que levou pro álbum tomar forma e ficar do jeitinho que eu sempre idealizei. Pareceu uma eternidade (risos). Mas estou feliz e orgulhosa demais do resultado.

Ainda sobre o álbum, queria saber um pouco sobre com quem você tá trabalhando nele. Tenho certeza que já é sucesso antes de lançar! A gente pode esperar uma mistura de ritmos ou ele terá foco em um único estilo?
Eu trabalhei com o Neobeats e Alexandre Kassin, que foram uns amores e entenderam totalmente a mensagem que eu quis transmitir, o som que guiaria todo o projeto. O resultado foi um álbum muito brasileiro, então quem ouvir vai encontrar influências do samba, o MPB e a Bossa. Juntei também referências do R&B internacional, do jazz e do blues, um pouco de todos os estilos que me encantam e que o público já está acostumado em me ver cantando.

Você começou na música bem cedo, como um escape para situações da infância. Mas você já tinha alguma relação anterior com a música ou foi se descobrindo com o passar dos anos?
Foi com o passar dos anos, mesmo. Primeiro cantando pra mim mesma em casa, como essa válvula de escape que você bem disse. Quando eu tinha uns 12 anos minha mãe trouxe um teclado pra casa, só que eu queria um celular, pra me sentir mais próxima dos meus colegas. E aí fui aprendendo sozinha a tocar, ouvindo o que passava no rádio. Depois de um tempo comecei a postar vídeos cantando no YouTube, pra me mostrar pro mundo. Então foi um processo gradual, assim.

O Brasil começou a te conhecer um pouco mais em 2019 e pra você, como foi esse impacto de se tornar uma estrela da música, conhecida, admirada e requisitada por outros grandes nomes da cena aqui no país?
Tem sido uma surpresa até a outra. Tantos artistas gigantes que eu sempre admirei dizendo que ouviram minhas músicas, me elogiando. É até surreal parar pra pensar. Tento
lidar com essa velocidade em que as coisas acontecem da forma mais leve possível, focando na minha arte e no que ela representa pra quem ouve. Mas é uma honra imensa conseguir um lugarzinho num cenário tão rico e diverso.

Hoje você é um sucesso tremendo, uma das nossas grandes revelações, tá no ar com uma série no YouTube (aliás, já tem segunda temporada confirmada?) e queria saber se 2022 será totalmente focado no lançamento e divulgação do álbum.
O meu foco é na música, e eu também sou grata demais por essas oportunidades que apareceram de participar de séries. Eu quis surpreender com o lançamento do álbum, e quero continuar surpreendendo com o que vem a seguir. O ciclo só começou e eu quero que tudo que venha junto de “Menina Mulher” seja especial demais, pra mim e pra quem me ouve. Pra esse ano tenho algumas datas de show já marcadas, aqui no Brasil e na Europa também, e vai ser insano me apresentar pro público de lá, estou literalmente contando os dias. Agora também lancei o clipe de “Papel Crepom”, um clipe muito especial de uma música muito especial também. Quero focar em levar essa música em particular pra um público novo que ainda não conheceu meu trabalho. Acho que ela ainda vai encantar muita gente.

%d blogueiros gostam disto: