“Quanto Mais Vida, Melhor!” aborda segunda chance e mostra lado musical de atores

Neném (Vladimir Brichta), Paula (Giovanna Antonelli), Guilherme (Mateus Solano) e Flávia (Valentina Herszage) – Foto: Globo/João Miguel Júnior

“Quanto Mais Vida, Melhor!”, próxima novela da faixa das 19h da TV Globo e que estreia dia 22 de novembro, tem como tema central a segunda chance. A obra traz drama, comédia, romance e até números musicais dos atores. A trama se passa no Rio de Janeiro, período pós-pandemia. Tijuca, Barra, Leblon. Nesses bairros genuinamente cariocas, vivem e trabalham Neném (Vladimir Brichta), Paula (Giovanna Antonelli), Guilherme (Mateus Solano) e Flávia (Valentina Herszage). Os quatro, que não se conheciam até o dia em que o destino os coloca dentro do mesmo avião.

Após passarem juntos pela insólita experiência de um acidente aéreo e descobrirem que estão no céu, eles ganham da própria Morte (A Maia) uma segunda chance… E como só quem viveu a experiência de encará-la de frente e de forma inesperada sabe, eles retornam à terra loucos para viver o amor de suas vidas, ávidos para realizar sonhos, tentar fazer diferente, consertar o que parecia estar perdido… Sobretudo depois de a Morte advertir que, em um ano, um deles irá fazer sua passagem de forma definitiva.

Essa não é a primeira vez que alguns atores se reencontram na tela. Valentina Herszage e Mateus Solano, por exemplo, já atuaram juntos em “Pega Pega”, como pai e filha. “O Mateus é um capítulo à parte, sou louca por ele, temos uma parceria. É uma pessoa incrível e muito da minha base, minha âncora, tanto em “Pega Pega” como agora. Juntos estamos reinventando personagens. Esperamos que o público receba como novidade, nova história”, contou a atriz em entrevista coletiva nesta quinta-feira (11).

Mateus Solano contou que tem muito mais medo do trânsito do que avião. “A gente sabe que os momentos de perigo são na aterrissagem e decolagem. Meu pai é diplomata, sempre voei para visitá-lo”, afirma. Segundo ele, um avião é como estar em uma sardinha em lata e tanto ambiente do aeroporto como do avião permite que personagens tão diferentes criem parentescos, dando mais conexão entre os personagens. Sobre a composição do personagem, Mateus relatou que não se inspirou em filmes e séries que abordam o tema, mas sim buscou conhecer médicos, e até acompanhou uma cirurgia, já que ele interpreta um cardiologista “que não conhece o próprio coração”.

Diferentemente de Mateus, Allan Fiterman, diretor artístico da obra, disse que teve inspirações cinematográficas para alguns pontos da trama. Fã de Pedro Almodóvar e Wes Anderson, ele adiantou, ainda, que a novela mistura comédia, romance, drama e musical, muitas vezes em uma única cena. “A gente decidiu juntos construir um musical semanalmente. Vocês vão ver uma música com performance dos protagonistas cantando, sendo algumas inéditas compostas especialmente para a novela”, não revelando se os atores cantam ou dublam, deixando um ar de mistério.

Esse tom de comédia foi o que ajudou Vladimir Brichta a aceitar o convite. “A oportunidade de fazer comédia, divertir as pessoas, foi uma escolha pessoal. Especificamente nesse momento, fazer comédia, agregou valor, um serviço a mais que a gente pode prestar para as pessoas. Meu personagem tentei fazer o mais leve e divertido possível, para que as pessoas realmente gostem, se divirtam. Hoje em dia um riso, uma gargalhada, vale milhões. Antes eu fazia personagens mais densos, o que eu gosto por experimentar, mas a comédia veio muito a calhar”, contou.

Para Giovanna Antonelli, que sempre dita moda em suas personagens, Paula garante que a novela é uma explosão de cores. “A galera do figurino arrebentou na Paula, trazendo 40%, 50% da mulher que interpretou. E vem aquele conceito todo completo de cores, roupas monocromáticas de tons, sapatos e bolsas iguais, carregadas de dourado. Recentemente vimos nas passarelas os tons de cores, cítricas, fiquei feliz de ter encontrado esse personagem. Eu adoro conceituar um personagem com cabelo, maquiagem, roupa, e a mulherada vai enlouquecer com a Paula”, acrescenta.

A TRAMA

O aeroporto é o ponto de partida de “Quando Mais Vida, Melhor!”. Por lá, o destino cruza as vidas dos quatro personagens principais. Por motivos distintos, aleatórios e urgentes, os quatro precisam deixar o Rio de Janeiro e seguir para São Paulo, e se encontram no jatinho de Guilherme. Até aquele dia, nenhum deles imaginava que suas vidas já estavam interligadas. A viagem então põe em xeque o quanto é possível mudarmos nossas trajetórias e o quanto estamos predestinados a viver algumas experiências, amores, fracassos e alegrias.

Neném, jogador de futebol que viveu o auge da carreira no Flamengo, passou pela seleção brasileira, jogou na Europa, mas viu sua ascensão profissional ser abreviada por conta de uma rotina de boêmia e lesões no joelho, tenta voltar aos gramados, e precisa viajar para fazer um teste na Ponte Preta. Paula, uma bem-sucedida empresária, quer contratar um garoto-propaganda para a nova linha de produtos voltados para o público masculino, sua aposta para salvar sua empresa, a Terrare Cosméticos, de uma crise financeira iniciada na pandemia. Guilherme, médico renomado, proprietário da Clínica Monteiro Bragança, vai receber na capital paulista pela terceira vez o título de melhor cirurgião do país.

E Flávia, dançarina de pole dance da boate Pulp Fiction, depois de se envolver em um assalto, se faz passar por aeromoça para não ser pega pela polícia com uma mala cheia de dólares. Na entrevista desta quinta, Valentina contou que uma de suas inspirações para a personagem foi a atriz Natalie Portman no filme “Closer – Perto Demais”. Ela ainda fez treinamento com personal para conseguir dançar no pole. Voltando à trama, ao saber que o aeroporto está fechado pelo mau tempo e que o único avião a levantar voo será o jatinho de Guilherme, Paula pede ajuda ao médico para chegar a tempo de fechar o contrato com um modelo famoso, também cobiçado pela empresa de sua maior rival, Carmem Wollinger (Julia Lemmertz). Ele libera a entrada dela na aeronave, enquanto seu piloto, Jairo (Gillray Coutinho), torcedor fanático do Flamengo, reconhece o ídolo Neném, e também intercede junto ao patrão para que o jogador possa viajar com eles e conseguir fazer o teste para o novo clube. A contragosto, Guilherme é convencido pelo funcionário. Pressionado para decolar logo, Jairo vê Flávia uniformizada – ela acabara de roubar a roupa de uma aeromoça – e pergunta se ela topa fazer um voo extra para São Paulo. Ela aceita e parte antes de ser vista pelos policiais que a procuravam.

A aeronave ganha o céu. Perto de Ubatuba, o piloto se sente mal e apaga. Flávia, identificada pelo crachá como Thais, ainda tenta acordá-lo sem sucesso. Com o avião perdendo a altitude, Guilherme atesta que Jairo teve um infarto. Eles se desesperam até a queda, em meio a uma tempestade, na mata fechada. Sem contato com a aeronave, o controlador percebe a emergência e envia as equipes de salvamento para o local.

Enquanto isso, no Rio de Janeiro, as respectivas famílias começam a ser avisadas do acidente. Na Tijuca, o matriarcado que gira em torno de Neném se desespera com a possibilidade de perdê-lo. Na casa do jogador, além de sua mãe Nedda (Elizabeth Savala), vivem – na mais absoluta paz – as duas ex-mulheres dele, Jandira (Michele Machado) e Betina (Carol Garcia), e suas respectivas filhas com o jogador: Martina (Agnes Brichta) e Bianca (Sara Vidal). A turma, apoiada por Osvaldo (Marcos Caruso), agente do atleta, corre para o aeroporto em busca de notícias. Por lá, conhecem Rose (Bárbara Colen), ex-modelo e mulher de Guilherme, Celina (Ana Lúcia Torre), mãe do médico, e a Dra. Joana (Mariana Nunes), braço direito dele na clínica Monteiro Bragança. Por último chegam, Ingrid (Nina Tomsic) e Tuninha (Jussara Freire), filha de Paula e a governanta da casa da empresária na Barra da Tijuca, respectivamente.

O que eles – ainda sem saber se a tripulação do avião sobreviveu ao acidente – não imaginam é que os quatro entes amados estão em plena negociação com a Morte (Marcela Maia). A própria, em pessoa. Mas ela revela que, em um ano, um deles vai de fato fazer sua passagem de forma definitiva para um outro plano. Após a surpreendente revelação, os quatro então são encontrados vivos pelas equipes de emergência e retornam para suas famílias com muitas urgências.

Neném precisa voltar a jogar e ganhar dinheiro para recuperar o salão de beleza de sua mãe, despejada por falta de pagamento do aluguel, e ainda pagar o tratamento de Bianca, sua filha caçula, que sofre com um problema no coração. E para isso acontecer, promete para São Judas Tadeu a aposentar temporariamente sua versão mulherengo e não se envolver com mulher alguma até ser contratado por um novo time. E, claro, terá sua fé muito testada até ter a graça alcançada. Além disso, vai precisar da ajuda dele para se safar dar armações de seu irmão caçula, Roni (Felipe Abib), que está preso. Diferentemente do jogador, ele nunca quis suar a camisa para vencer na vida e se meteu em muitas confusões até ir para a cadeia.

Guilherme precisa se acertar com o filho Antônio (Mateus Abreu), com quem mantém uma relação distante, e com a mulher, Rose (Bárbara Colen), com quem o casamento está estremecido. Ela não aguenta mais o comportamento possessivo do marido, mas também sofre por um amor do passado, que é justamente Neném, com que ela namorou nos tempos de modelo na Europa. Guilherme também vai precisar controlar os ímpetos de sua mãe, Celina (). Tão controladora quanto ele, a psicanalista não vê com bons olhos o casamento do filho e é a primeira a suspeitar que a nora cultiva uma paixão mal resolvida. Ela vai se encarregar de fazer tudo para expulsá-la da mansão da família, situada no Leblon, zona sul carioca, sem que a ex-modelo leve nenhum tostão do seu herdeiro.

Além das dívidas da empresa, Paula também precisa melhorar sua relação com a filha Ingrid, que ela destrata por não aceitar o perfil descolado da jovem. Ao contrário da mãe, superfashionista, ela não se preocupa em se adequar a padrões estéticos. A empresária também volta determinada a derrubar Carmem Wollinger (Julia Lemmertz), sua concorrente nos negócios. O histórico de brigas entre as duas teve início no passado, quando Paula se casou com Celso Terrarre (Cândido Damm), ex-namorado da rival, que morreu em um acidente. Desde então, Carmem promete se vingar da viúva a quem atribui a culpa pela morte do grande amor de sua vida. Mas, além da louca experiência de encontrar com a Morte, o acidente de avião deixou mais uma marca em Paula: nasce ali uma incontrolável atração por Neném. A princípio, ela passa a persegui-lo para fazer dele o novo rosto do creme masculino da Terrarre, mas, com o passar do tempo, percebe que quer algo mais sério com o jogador do que um relacionamento profissional. E não medirá esforços para isso.

A família de Flávia sequer sabia que ela tinha embarcado em um avião. Juca (Fabio Herford) é surpreendido quando a polícia vai até sua casa para descobrir o paradeiro de sua filha, acusada de roubar cerca de 20 mil dólares. A jovem foi criada pelo pai, abandonado pela mulher assim que a criança nasceu. Apesar de ter refeito sua vida com Odete (Luciana Paes), ele vive oprimido pela mulher, que não suporta a enteada. E Flávia aceitou a proposta de Cora (Valentina Bandeira) para participar do assalto numa tentativa desesperada de conseguir sua independência financeira. Mas a vida vai cobrar caro essa sua desastrada entrada no mundo do crime. Mesmo presa, Cora conseguirá orquestrar várias tentativas de recuperar a mala de dinheiro que, após o acidente, foi parar na clínica de Guilherme. Depois de descobrir a verdadeira identidade da aeromoça, mas ainda assim, motivado pelo sentimento de fazer diferente com a sobrevida dada pela própria Morte, ele assumirá, junto de Neném, a função de anjo da guarda dela. Caberá ao médico operá-la clandestinamente em sua clínica, quando ela é atingida por uma bala numa das mil confusões em que se mete.

%d blogueiros gostam disto: