Rafa Bicalho inicia nova fase da carreira com o single “A Minha Mente Não Me Deixa Quieto”

Rafa Bicalho lançou nesta quinta-feira, dia 12, a faixa “A Minha Mente Não Me Deixa Quieto”. Dando start a um novo momento de sua vida pessoal e profissional, nessa produção o artista que navega entre o pop e o indie traz também influências do hip-hop: “É uma música pop e indie, mas que na forma com que foi escrita e estruturada tem muita influência de hip-hop também. Esse refrão curto e repetitivo quase tipo um mantra tem muita influência de refrões de artistas como Marcelo D2, é um tipo de linguagem musical que eu tô gostando muito de introduzir aos poucos no meu som”, conta Rafa.

Natural de Divinópolis, Rafa mudou recentemente para a capital mineira e acredita que isso tem um impacto forte em suas novas músicas. São novos lugares e experiências que antes não faziam parte de sua vida e abrem espaço para novas inspirações. Em AMMNMDQ ele fala sobre as paranoias, neuras e inseguranças que criamos quando algo acontece, como quando nos apaixonamos, passamos por mudanças ou temos que fazer escolhas difíceis.

“Eu acho muito massa tratar ‘a minha mente’ como se fosse uma outra pessoa (e não eu mesmo), isso abre muita margem pra frases, representações visuais e versos muito diferentões. Às vezes a gente sente isso mesmo, como se nossa mente fosse uma coisa separada que até joga contra a gente e deixa tudo mais difícil do que era pra ser, como se as nossas paranoias e inseguranças fossem assombrações que temos que abraçar ou pelo menos aprender a lidar”.

No clipe produzido pela Espacial Filmes e dirigido por Igor Bastos e Elisa Guimarães, Rafa Bicalho convive com suas paranoias em momentos de descontração e em um jantar luxuoso com todas as suas neuras, inseguranças e pensamentos que preferiria reprimir.

Destaque como uma nova voz do indie nacional, Rafa acredita que sonoramente o destaque dessa música está em seu desprendimento de um som de banda que carregou nas músicas anteriores. Em alguns dias mergulhado em seu estúdio em casa, se permitiu experimentar teclados, sintetizadores, bateria eletrônica e usar pela primeira vez hihats de trap em uma faixa.

%d blogueiros gostam disto: