Clássico de Nando Reis, “Para Quando o Arco-Íris Encontrar o Pote de Ouro”, chega com nova edição

Um dos álbuns mais queridos da primeira década dos anos 2000, “Para Quando o Arco-Íris Encontrar o Pote de Ouro” está de volta em reedição remixada, remasterizada e expandida.

“Pra Quando O Arco-Íris Encontrar o Pote de Ouro”, segundo álbum solo de Nando Reis, lançado em 2000 pela Warner Music Brasil, foi gravado em Seattle e produzido pelo saudoso Tom Capone, por Jack Endino e pelo próprio Nando Reis.

O disco nos apresentou clássicos eternizados na voz do ruivo, mas que também foram lindamente performados em outros álbuns e shows pela eterna Cássia Eller. Canções como “All Star” e “Relicário”, de alma própria e força eruptiva, como a inconfundível peculiaridade de “No Recreio” descortinam a força criativa de Nando Reis e mostram o porquê de ele estar entre os maiores nomes de nossa rica música.

A reedição traz releituras de todas as faixas do álbum e conta ainda com uma nova versão de “Hey, Babe!” feat. Elana Dara, um novo arranjo lindo de cordas para a já belíssima “Quem Vai Dizer Tchau”, além das versões demo de voz e violão de “Relicário”, “Dessa Vez”, “Nosso Amor, “Frases Mais Azuis” e a própria faixa-título, tiradas dos arquivos pessoais de Nando Reis.

Além do álbum digital e em CD físico, disponíveis hoje, o projeto ainda prevê a versão em vinil do álbum remasterizado, o lançamento da “Wallet Nando Reis” com NFTs e um documentário repleto de materiais de arquivo e histórias sobre o processo de criação do álbum.

Sobre a participação de Elana no single, Nando diz: “Elana Dara tem força no seu canto. Frescor e presença, aliados a uma impressionante tessitura vocal. Raro cantar com uma mulher sem precisar mudar de tom. Hey, Elana! Obrigado, ficou lindo”.

Elana salienta a importância do cantor, músico e compositor na sua história como artista: “Nando é uma referência gigante pra mim. Uma história de clássicos sendo contada de novo e agora pra novas pessoas é uma tarefa das grandes. A possibilidade de estar cantando essa música, com a bagagem e importância que esse álbum e que Nando têm, não se explica. Eu só agradeço e dou meu máximo pra que tudo tenha sido traduzido do melhor jeito nessa regravação.”

A harmonia em estúdio entre Nando e Elana foi determinante para o produto final da canção. Com cuidado, foram resolvidos detalhes do arranjo e da gravação, permitindo que a intersecção entre as duas gerações criasse sua magia própria.

Na letra da canção, versos como “Não faz mal/Não me fez tão mal” evocam um romantismo atípico e a cor rockeira do ruivão, que se tornou um dos grandes tradutores de sentimentos complexos e corações em chama.

O refrão explode com Elana e Nando celebrando a energia de estar inteiro na relação: “Porque eu te quero/ Porque eu te amo/ Porque eu te espero/ Até quando?/Eu e você pudermos aguentar”.

Com produção de Pupillo Oliveira, a gravação de “Hey, Babe!” aconteceu com os dois fazendo a voz principal ao mesmo tempo. O resultado é uma canção potente ganhando as cores da década de 2020, em duas vozes que sintetizam força e identidade de forma quase simbiótica.

%d blogueiros gostam disto: