Darlan lança segunda para de EP que se inspira em sua própria história como deficiente visual

“Ser Feliz Ou Ter Razão”, “Fechecler”, “Auto Defesa” e “Segundo Lugar” foram as canções escolhidas pelo cantor Darlan para expressar suas emoções durante algumas fases de sua vida, e que fazem parte da continuação do seu EP audivisual, “Meu Mundo Particular”. O projeto está sendo disponibilizado nas plataformas digitais nesta sexta-feira, 11, e chega trazendo a participação especial do violinista Israel Pessoa. “Eu espero que o público embarque nesta mesma emoção que eu estou sentindo e viagem em cada história cantada neste EP pensado com tanto carinho”, se anima.

O projeto sai pela Soull Music BR, em parceria com a Sony Music e aposta na canção “Ser Feliz Ou Ter Razão” como grande promessa de hit. “Essa é uma música que a minha esposa chora escutando, e que eu já sonhei em estar escutando nas ruas. Inclusive é uma das minhas grandes apostas porque eu acho que muita gente vai se identificar com ela”, conta Darlan sobre a música que traz sonoridade que passeia por todo o romantismo do pagode, para provocar uma reflexão sobre o que realmente vale a pena para estar ao lado de quem se ama, estar certo, ou saber aproveitar cada momento com seu amor?

A música, aliás, abre a sequência de clipes, que serão lançados de forma individual nas próximas semanas. “Cada música lançada, assim como cada parte da nossa vida, a ansiedade é muito grande. E esse é um projeto muito especial pra mim como um todo. Desde todos os músicos que participaram, o local onde gravamos, toda a escolha de repertório… É um trabalho que tem muita dedicação minha e de toda a minha equipe e marca uma grande virada na minha carreira”, conclui Darlan.

Grande promessa do samba, Darlan George Aleixo Cardoso, ou simplesmente Darlan, descobriu sua paixão pela música ainda muito cedo, quando usava chinelos e garrafas para já fazer alguns sons. Morador de Senador Camará, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, o artista, de 27 anos, cantava em rodas de samba Brasil a fora, e sempre impressionava pela grande potência em sua voz. Em 2020 assinou contrato com a Soull Music BR e de lá para cá vem se dedicando com muito carinho ao seu primeiro DVD, que pretende mostrar um pouco do mundo particular do cantor, que já nasceu com a deficiência visual.

“As dificuldades que eu enfrentei na carreira, foram as dificuldades que todo músico quer chegar a algum lugar enfrenta. A galera muitas vezes até esquece que eu não enxergo, porque sempre agi como uma pessoa vidente. Na vida também sempre tive as dificuldades normais à qualquer pessoa. Eu até costumo muito brincar com isso, porque sempre fui um cara para cima, como a maioria dos meus amigos cegos também, porque a nossa deficiência não nos limita, o que nos limita é a nossa mente”, conclui o cantor.

%d blogueiros gostam disto: