Ele não para! Depois de lançar álbum com mais de 30 parcerias, WC no Beat já pensa em próximo projeto

wc no beat - foto gabriel dias_Easy-Resize.com
Foto: Gabriel Dias

“GRIFF”, o aguardado segundo álbum do produtor WC no Beat, já chegou aclamado. Com 33 nomes, dois deles internacionais, para gosto nenhum colocar defeito, o disco tem Anitta, Ludmilla, Djonga, Rebecca, Karol Conka, Pedro Sampaio, Dilsinho, Kevin o Chris, Vitão, Pk, Mc Zaac, Preto Show, Dfideliz, MC Maneirinho, Meno Tody, FP do Trem Bala, Kekel, Luccas Carlos, Buchecha, MC G15, POCAH, Xamã, Reik, Felp 22, MC TH, MC Cabelinho, MC Mirella, MC Don Juan, Jovem Dex, MC Hariel, MC Lan, NOG e MC GW.

Só pelos nomes já deu pra ver a mistura: trap, funk, pagode, pop latino e por aí vai. O Caderno Pop conversou com o precursor do trap funk, que já está em estúdio trabalhando em novo projeto.

Sobre a diversidade de parcerias, WC contou que tinha idealizado, desde o começo, um álbum nesse formato com 12 faixas. “Mas claro que se deixar, aqui não para. Precisa a gravadora pedir pra dar uma segurada, porque senão sai música até não dar mais”, brinca.

Mas a brincadeira a gente sabe que tem um fundo de verdade, porque enquanto o produtor conversava com a gente, ele estava com um sampler nas mãos e confirmou que estava trabalhando em uma novidade.

Voltando ao “GRIFF”, uma das parcerias inusitadas, em um álbum predominantemente de trap e funk, é a faixa “B.O. Temporário”, que tem Dilsinho, os mexicanos do Reik e Felp 22. Segundo o produtor, a parceria foi intermediada pela Sony Music, que é a gravadora do Dilsinho e do Reik. “Com o Reik não deu pra gravar presencialmente, então mandei a letra, a base, eles gravaram tudo por lá e eu nem acreditei”, comemora.

A divulgação do álbum começou pesada. O start foi uma suposta invasão hacker no Instagram do produtor. Depois, postagens com números até que uma foto, com a chamada “GRIFF” e nomes de vários artistas, parecidos com os anúncios de festivais, deu a largada para o lançamento.

Segundo WC, tudo foi bem pensado no atual momento de pandemia, em que as pessoas estão mais conectadas e puderam se envolver mais na brincadeira e abraçar o projeto. Só depois de uma live no Instagram é que o mistério chegou ao fim: estava pra ser lançado um dos álbuns mais memoráveis de 2020.

Sem poder fazer shows “normais”, WC no Beat se prepara para estrear a divulgação do álbum com duas apresentações drive-in: uma no Rio de Janeiro e outra em São Paulo. Para o RJ, WC já garantiu que terá participações especiais de artistas que estão em “GRIFF”.

A gente perguntou se ele pretende lançar clipes para todas as faixas do álbum. Infelizmente por conta da pandemia, dificuldades em ajustar agendas, WC que por enquanto isso não vai ser possível, embora a vontade dele seja grande em concluir o projeto como um audiovisual. Quem sabe a gente não tem essas parcerias todas pra gente curtir, não é?

Enquanto a gente espera mais novidades do WC no Beat, você já deu o seu play no disco do ano?

%d blogueiros gostam disto: