Fenômenos na Bahia, Tierry e Kevi Jonny invadem o restante do Brasil

TIERRY KEVI JONNY

Só no Instagram, eles somam juntos pelo menos 2,1 milhões de seguidores e são os grandes fenômenos da música baiana atualmente: Tierry e Kevi Jonny. Por lá, eles já são conhecidos do público há algum tempo, mas recentemente invadiram o restante do Brasil com seus hits. Se você ainda não conhece, vale a pena buscar por esses três nomes no YouTube e Spotify. Certamente a sua playlist não vai ser mais a mesma.

Kevi Jonny é o mais novo dessa safra. Com apenas 25 anos, ele gravou seu primeiro DVD em março, no Gran Hotel Stella Maris, em Salvador. O projeto musical contou com participações de Priscila Senna, e claro, de Tierry e Pablo. Batizado de “Até o Último Gole”, o DVD é marcado por diversas canções amorosas e relacionadas a bebidas. Kevi ficou conhecido como compositor de músicas de Jorge & Mateus, Henrique & Diego e Psirico.

Tierry, 30 anos, ganhou notoriedade ao ser o responsável por hits que fizeram sucesso na voz de outros artistas. Para se ter uma ideia do poder de composição dele, Tierry é responsável por músicas como “Cem Mil” (Gusttavo Lima), “Os Anjos Cantam” (Jorge & Mateus), “Paga de Solteiro Feliz” (Simone & Simaria) e “Casado Namorando Solteiro” (Wesley Safadão). Não é à toa que o apelido de Tierry já virou Tiehit, por causa do grandioso número de sucessos que ele fez o Brasil todo conhecer. “Cracudo”, composição própria lançada ano passado, foi a música que fez Tierry estourar nacionalmente.

Se os shows dos dois na Bahia já arrastavam multidões, as lives, que por causa da pandemia de coronavírus viraram a grande forma de entretenimento musical por enquanto, também concentram grande público dos três artistas. E não é pra menos… desde março, quando a onda de shows virtuais começou, os três, em algum momento, participaram das lives dos conterrâneos.

Em entrevista ao Caderno Pop, Tierry contou sobre o momento fenômeno que está vivendo. “É uma alegria muito grande a gente, do nada, ver milhares de pessoas até pessoas que a gente nunca viu na vida falando bem de seu trabalho, vendo como algo diferente que surgiu, algo novo que surgiu, isso é surreal. Nem nos meus melhores sonhos imaginei, então eu só tenho a agradecer ver todo esse carinho”, disse.

E para 2020 ainda tem mais. “A gente tem lançado algumas músicas, alguns singles de brincadeira, que eu chamo de singles da quarentena. Então todo mês eu vou lançar uma música que tem essa referência a quarentena. A próxima é o “Motoboy do Delivery”, que é essa figura que virou tão popular quanto essa pandemia horrível, horrorosa. Mas de forma positiva, né. Que bom que temos os motoboys pra poder nos entregar as comidas, enfim. E eu vou gravar um CD novo. Vou gravar um DVD novo também. Apesar de que eu quero gravar um DVD desse disco que estourou. Esse período sem shows eu tenho feito muita música, produzindo videoclipes, basicamente isso”, acrescenta.

Sobre “Cracudo”, o compositor explicou porque decidiu cantar e não ceder a outro artista. Segundo ele, a música foi um divisor de águas em sua carreira. “Eu fiz música pra tanta gente e as pessoas, sempre que eu fazia essas mesmas músicas que Gusttavo Lima, Luan Santana, Simone & Simaria gravaram pra mim, elas sempre comparavam, né? Então precisava falar uma coisa que talvez o Gustavo, Luan, Simone & Simaria não tivessem coragem de cantar, achassem que poderia dar algum tipo de repercussão polêmica, enfim, eu precisava escrever a minha história e não fazer algo parecido com o que eu já fazia para esses grandes artistas”, revela.

O que muita gente não sabe é que ter uma música do Tierry em seu currículo não é nada barato. Também pudera. A assinatura do baiano é certeza de sucesso. Uma composição dele custa, em média, entre R$ 15 mil e R$ 30 mil. “Até agora a composição me rendeu muito mais que que o cantor, ganhar dinheiro como cantor. A minha carreira de cantor sempre foi mais um filho e um filho que eu sustentava. Pagava o colégio para esse filho, pagava roupa para esse filho até esse filho crescer. No momento que ele cresceu, infelizmente veio essa pandemia. No momento que eu ia recuperar essa grana que graças à composição eu tive a oportunidade de investir na minha carreira sem precisar de empresário bancando, enfim, como outros artistas já fizeram e precisaram”, conclui.

Kevi Jonny também conversou com o Caderno Pop e ressaltou a amizade com Tierry: “foi um dos primeiros artistas que eu conheci em Salvador, quando eu cheguei do interior para morar em Salvador. A primeira música que eu gravei também era uma composição dele. A gente se tornou amigo desde o princípio que e eu cheguei na cidade de Salvador.

Sobre o DVD que está para ser lançado, Kevi Jonny garante que vai ser “muito especial”. “Sou suspeito pra falar que é uma composição minha (Fiz Um Hit Pra Você) que está no DVD e a gente acabou de lançar no YouTube. Ele vai estar encabeçando também como a primeira faixa do CD novo. Então estou muito feliz sobre o lançamento. Já era uma espera muito grande de todos os meus fãs”, completa.

Kevi também se mostra feliz com a repercussão e o sucesso que suas músicas e composições têm feito em todo o Brasil. “Pelos números aqui no escritório a gente sempre faz uma busca de onde a gente está tocando, a música está tendo os streams, e eu sou muito feliz de saber que eu, um cantor do interior consegui ir para a Capital e hoje eu tenho fã-clubes. Ainda não consegui tocar em todos os lugares que eu tenho um fã-clube, no Rio de Janeiro, no Amapá, Belo Horizonte, Goiânia. São lugares que a gente ainda não conheceu, mas que em breve, fé em Deus, a música já está tocando, mas em breve a gente vai estar chegando lá”, promete.

Nessa época em que cada stream conta, a Internet tem sido um fator-chave para o sucesso de Kevi: “eu atribuo (o sucesso) muito sim à internet”, afirma. “A gente sempre está correndo atrás de divulgar, de crescer o mercado e a internet é uma ferramenta chave para isso e acredito que além das músicas boas a internet é a parte mais importante, acho, para chegar em outros lugares”, pontua.

Sucesso na internet, mas por conta da pandemia, longe dos palcos, Kevi se mostra bastante preocupado com a situação que o Brasil e o mundo está passando. “É muito triste saber que a pandemia está afastando a gente dos palcos, dos shows do que a gente ama fazer. Eu tenho mais de dez anos trabalhando com música e só lamento por tudo que está acontecendo, além de não ser só uma pandemia, tem muita coisa ruim acontecendo no mundo”, lamenta.

“Eu procuro de alguma forma ser próximo dos fãs através da internet e dos fã-clubes e também procuro sempre quando tenho uma oportunidade de encontrar alguém nos shows eu sempre faço questão e agora nesse tempo de pandemia não está dando pra ser a mesma coisa, mas a gente sempre tá aqui na rede social alimentando eles com música, com vídeos, com os stories no Instagram, com bom-dia, boa-tarde, enfim a nossa rotina a gente procura estar mostrando sempre pra todos os fãs para que eles se sintam próximos e a gente também”, finaliza.

Agora que a gente já conhece um pouquinho do perfil desses dois cantores que estão invadindo o Brasil, só apertar o play na sua plataforma favorita e curtir!

%d blogueiros gostam disto: