Mistura boa: conheça músicas de várias partes do mundo nas descobertas Groover do Caderno Pop – edição Outubro/21

O Caderno Pop sempre apoiou novos talentos, principalmente os que vêm de várias partes do mundo. É uma forma de apresentar aos nossos leitores músicas não estão nas principais playlists das plataformas digitais, mas que merecem nossa atenção por serem fruto de muita dedicação e trabalho de artistas que batalham para levar ao mundo aquilo que mais amam fazer.

A plataforma Groover tem nos possibilitado conhecer artistas de todo o mundo. Ela conecta artistas que desejam promover sua música com as melhores mídias, estações de rádio e selos em busca de talentos emergentes. Na Groover, os artistas podem enviar suas músicas diretamente para uma seleção de influenciadores, mídias, rádios e gravadoras de sua escolha, obter um feedback ou de repente uma inclusão em playlist, lista de lançamentos, compartilhamento em rede social ou uma matéria em site. O Caderno Pop é um dos influenciadores parceiros da plataforma e traremos neste post algumas das novidades.

Atenção: este post será atualizado frequentemente.

GuiTüx

Conhecido por alguns como “a banda de um homem só”, GuiTüx, de Belo Horizonte/MG, explora elementos do rock e da música eletrônica, com letras reflexivas sobre a sociedade e as nossas vidas. Além de compositor, GuiTüx é músico multi-instrumentista e produtor musical, habilidades que permitiram criar todos os arranjos e gravar todos os instrumentos e vozes em sua produção, que também conta com participações especiais de amigos em algumas faixas.

Conheça a faixa “Somos um Só”, que ele escreveu enquanto aguardava em uma fila do Detran. Inusitado, né?

Dag Tenere

Dag Tenere (“filhos do deserto” na língua tamasheq) é uma banda de seis artistas tuaregues do Níger, Mali e Burkina Faso cuja música, fortemente influenciada pelo estilo “assouf” ou blues tuaregue, também aspira a promover e preservar a cultura e as tradições deste povo nômade do deserto do Saara, o “kel tamasheq”, cuja história remonta aos tempos antigos. Totalmente autodidatas, os membros do Dag Tenere constituem uma verdadeira família que há anos se reúne para brincar. Em 2018, eles produziram por conta própria um primeiro álbum, “Timasniwen Tikmawen”, que eles apresentaram oficialmente no Centre Culturel Franco-Nigérien em Niamey em março de 2019. Em 2020 conseguem o apoio do Fundo de Cultura Africana para gravar um álbum EP, “Iswat”. Para este novo trabalho, as guitarras de Dag Tenere são acompanhadas exclusivamente por tradicionais instrumentos de percussão, o que confere às canções um estilo mais natural, como quando a banda ensaiava “no mato”. Com 6 canções que vão do rock ao tradicional, o álbum “Iswat” de Dag Tenere nos transporta para uma vida pacífica no coração do deserto.

Ouça o EP:

Chemikkal

De Tampa, FL, Chemikkal é um DJ/produtor em ascensão com uma tendência para colocar as pessoas em pé e produzir músicas contagiantes. Com formação militar e fortemente influenciado por experiências da vida real, Chemikkal desenvolveu uma tenaz ética de trabalho ao longo dos anos, o que lhe permitiu progredir e se tornar o DJ/produtor que é hoje. Enquanto muitos DJs e produtores são um pônei de truque, Chemikkal tem uma competência inata única para apresentar engenhosamente a música em várias formas, enquanto mantém uma marca consistente. Além de ser fluido, a capacidade do artista de atrair uma infinidade de públicos diferentes de todas as esferas da vida na mesma sala, é um dos principais fatores que tornam Chemikkal tão extraordinário. Com grandes sonhos e muita energia de sobra, Chemikkal busca influenciar positivamente a sociedade com sua música e está a caminho de se tornar um dos DJs mais fenomenais da próxima década.

Ouça “Decline U”:

Danny Starr

Guardem esse nome: Nascido e criado em Londres, Danny Starr cultivou o talento para criar melodias que chamam a atenção e letras instigantes. A música de Danny recentemente chamou a atenção da Groover, que o colocou na Groover Obsession Artist. Além disso, seu estilo único de indie-rock e letras com alma ajudou a ganhar atenção em várias playlists editoriais de plataformas de streaming. Danny é um performer experiente ao vivo, que tem se apresentado no Reino Unido por vários anos, viajando por várias cidades para shows, suporte e shows em festivais. Ouça o mais recente single, “Belong”.

Joseph Sarenhes

Eu simplesmente estou preso nessa música do canadense Joseph Sarenhes. “Stand Up” é fruto do sofrimento indígena, canalizado através da música. “É um grito do coração, um apelo à consciência e uma revolução musical, tudo com uma intensidade digna de um powwow. Uma peça poderosa que transcende a história do funeral dos povos indígenas no Canadá”, diz o cantor.

Joseph Sarenhes, membro da nação Wendat de Quebec, aqui mistura hip-hop e trap com canções tradicionais nativas e bateria, tocadas pelo grupo RedTailSpirit. Seus tambores soam como um trovão e suas canções como um grito de guerra. A experiência começa com esses dois elementos. Rapidamente, Joseph começa a fazer rap através de canções e ao ritmo da bateria. Assim, Trombetas, Armadilhas, Hi-Hats e 808 juntam-se à procissão. A intensidade aumenta, o tambor toca cada vez mais alto e tudo explode no refrão.

Mais adiante, linha de bateria e coral se juntarão a esta valsa de fogo. Apesar da veemência dessa música, suas letras e temas são tristemente ásperos e reais. São mencionadas várias tragédias, como as escolas residenciais indianas, o desaparecimento de mulheres aborígines ou mesmo a responsabilidade do Canadá em relação à situação socioeconômica dos povos das Primeiras Nações. Este trabalho pretende dar a força necessária às jovens gerações das Primeiras Nações, para que possam florescer com orgulho na sociedade de hoje.

G Shooz

“Covid World Order” está sendo chamado de Vídeo de Música Mais Controverso de Todos os Tempos! Arriscar e fazer o que nenhum artista teve a coragem de fazer: desafiar os poderes constituídos e as falsas narrativas fabricadas para tentar salvar a humanidade e a alma humana antes que seja literalmente tarde demais, e sejamos todos escravizados por um governo global tirânico. Essas são as palavras do rapper estadunidense G Shooz.

Segundo ele, todo o projeto é feito por produtores e engenheiros vencedores do prêmio Grammy, além de uma equipe de produção de vídeo de classe mundial, filmada na capital mundial do entretenimento, Los Angeles, Califórnia. Todas as letras escritas e interpretadas por um dos artistas mais destemidamente originais e perspicazes do Hip Hop: G Shooz, também conhecido como The Eye of Freedom.

Viéra

Jessica Alice Vieira Victor, mais conhecida artisticamente como Viéra, é uma cantora cearense de Fortaleza. Atua na música com composições próprias no estilo trap e R&B. Em abril de 2021 fez sua estreia nas plataformas digitais com a música “O Que Eu Quiser”, uma mistura de pop e R&B e fala sobre uma garota que conquista tudo o que sonha, menos o seu verdadeiro amor. Seu trabalho mais recente nas plataformas foi uma participação no single “Debaixo D’água” do EP “O Sagrado Close” da artista cearense Lindsey Drag.

%d blogueiros gostam disto: